Firmes no caminho de Cristo, sem escutar as propostas de pecado do mundo

Missa em Santa Marta: Francisco convida a pedir de Deus a graça da obediência e da coragem para seguir o caminho de Jesus, que "nos torna livres"

Roma, (Zenit.org) Salvatore Cernuzio | 1425 visitas

A missa matutina do papa Francisco na Capela de Santa Marta tornou-se um compromisso imperdível, tal como as audiências gerais e o ângelus de domingo. Fiéis de todo o mundo querem saber todos os dias quais foram as joias de sabedoria e de espiritualidade que o Santo Padre presenteou nas suas breves, mas poderosas homilias.

Toda manhã, o papa aborda um tema diferente, que, inspirado pela leitura do dia, ilumina tudo o que nos distrai de Deus: a riqueza, a vaidade, o julgamento dos outros, as superstições. Mas também tudo o que nos leva a Deus e, portanto, à completa felicidade: a humildade, a paz, o amor por Deus e pelo próximo, a oração e a obediência.

Foi sobre este último ponto que se concentrou o discurso do papa na missa de ontem que teve a participação de funcionários do L'Osservatore Romano.

"A obediência a Deus é ouvir a Deus. É ter um coração aberto para trilhar a estrada que Deus nos mostra". Uma estrada que "nos torna livres".

No entanto, prosseguiu o papa, também “sentimos coisas que não são de Jesus, que não vêm de Deus". E por causa dos nossos "pontos fracos", acrescentou, somos catapultados para outra estrada que não segue para a felicidade, mas para o dilema entre "o que Jesus nos diz" e "o que o mundo nos mostra".

Às vezes, quando ouvimos Jesus, as coisas do mundo "se enfurecem" de tal modo que aqueles que ouvem Jesus são "perseguidos".

Ao mesmo tempo, no entanto, são muitos os que testemunham a vontade de obedecer a Deus, como o apóstolo Pedro, que afirmou para os escribas e fariseus: "Eu faço o que Jesus me diz, não o que vós quereis que eu faça".

"Andar pelo caminho de Jesus" é a "pérola" da liturgia de hoje, que o papa nos dá com a advertência de não cair nas "propostas do pecado", que nos levam para longe de Deus e "não nos fazem felizes".

Obedecer a Deus é um longo caminho, nem sempre fácil de seguir. Mas não estamos sozinhos: o Espírito Santo é companheiro de viagem e "nos dá a força para continuar", disse o papa Bergoglio.

Jesus Cristo, portanto, nos mostra o caminho, nos dá a verdadeira felicidade e o Espírito Santo nos guia. Mas nós, cristãos, temos de fazer uma pequena contribuição: ser "valentes" e dizer "Senhor, eu sou um pecador; às vezes obedeço às coisas do mundo, mas quero obedecer a ti, quero seguir o teu caminho".

Oremos a Deus pela "graça da coragem", exortou o pontífice; a coragem "de seguir sempre pelo caminho de Jesus". E se não conseguirmos, o papa nos recorda: "Nosso Senhor nos perdoa sempre, porque Ele é muito bom".