Focolares criam seu primeiro instituto universitário sobre unidade

«Sophia» terá sede em Loppiano, perto de Florença

| 871 visitas

Por Miriam Díez i Bosch

 

VALDARNO (FLORENÇA), sexta-feira, 18 de janeiro de 2008 (ZENIT.org).- O sonho da fundadora, Chiara Lubich, será uma realidade. O Movimento dos Focolares (Obra de Maria) anunciou a criação de um Instituto Universitário, «Sophia» (www.iu-sophia.org), que a partir do curso 2008-2009 oferecerá um mestrado de dois anos sobre a cultura da unidade.

É a primeira vez que os focolares terão uma instituição universitária própria.

O Instituto universitário, erigido com o decreto pontifício de 7 de dezembro, nasce para oferecer uma especialização em «Fundamentos e perspectivas de uma cultura da unidade».

O presidente do Instituto é o teólogo Piero Coda, professor na Universidade Pontifícia Lateranense e presidente da Associação Teológica Italiana.

Esta instituição universitária era o grande desejo da fundadora dos Focolares, Chiara Lubich. Carla Cottignoli, do Serviço de Informação dos Focolares, conta à Zenit que «desde o princípio ela teve uma intuição de que o carisma da unidade criaria uma nova doutrina e agora vê esse sonho realizado; no último ano trabalhou muito para dar um impulso a este instituto».

Cottignoli explicita que o instituto universitário cristalizará o vínculo entre «vida e pensamento» e é por isso que nasce dentro da cidade de Loppiano, um lugar onde os focolares vivem e trabalham em comunidade.

«A cidade é um esboço de uma sociedade nova e é natural que o instituto tenha de surgir precisamente lá», acrescenta.

Atualmente, são 35 as cidades espalhadas nos cinco continentes que se apresentam como verdadeiras pequenas cidades modernas, com casas, lojas, salas para encontros, centros de arte, escritórios, pequenas empresas que contribuem para a manutenção dos habitantes, com sua igreja, escolas de vida e de espiritualidade.

A internacionalidade é a característica típica da primeira cidade onde agora se construirá este instituto universitário.

Loppiano foi criada em 1964 (www.loppiano.it), em Incisa Valdarno (Florença). Com seus mais de 800 habitantes de 70 nações, quer ser um exemplo do mundo unido, onde já se podem ver fundidas as várias etnias e vários povos do mundo.

O Instituto «Sophia» contará no primeiro ano com 50 estudantes. Entre seus professores destaca-se Antonio Maria Baggio, docente de Ética Social na Pontifícia Universidade Gregoriana; Judith Provilus, professora de Matemática na De Paul University de Chicago; e Sérgio Rondinara, professor de Filosofia na Pontifícia Universidade Salesiana de Roma.

O curso não será só acadêmico, mas conjugará estudo e experiência. Estão previstos encontros com realidades civis e eclesiais, com comunidades de diferentes tradições cristãs, com expoentes de várias religiões e com representantes de várias formas culturais atuais.

O cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, disse que o Instituto é «um dom para a Igreja e para a sociedade de nosso tempo» e destacou seu «objetivo de comunhão» e sua «interdisciplinariedade».