França: aproximadamente 200 muçulmanos se convertem ao catolicismo por ano

Entre eles, numerosos filhos de casais mistos

| 1150 visitas

PARIS, sexta-feira, 4 de abril de 2008 (ZENIT.org).- Entre 150 e 200 muçulmanos se convertem cada ano ao catolicismo na França, segundo revela o jornal francês «Le Monde», em notícia publicada no dia 2 de abril. Entre eles se encontram numerosas crianças, filhos de casais mistos.

Ainda que tenha se mantido discreta em  relação ao tema nos últimos anos, a Igreja Católica afirma que daqui em diante considerará a «liberdade religiosa e a reciprocidade essenciais».

«Não é necessário dizer as coisas, sem esconder segredos?», pergunta no «Le Monde» Michel Dubost, bispo de Evry, empenhado no diálogo com o Islã. Uma dezena de muçulmanos são batizados a cada ano em sua diocese. Este ano, um batismo teve de ser celebrado de forma «não-pública».

O jornal francês relata o itinerário de vários dos novos batizados católicos de origem muçulmana. A maior parte enfrenta a incompreensão de seu ambiente, que lhe reprova por ter «renegado sua cultura». Alguns ocultaram inclusive a conversão a membros de sua família.

Neste contexto, a conversão, difundida na mídia, do jornalista muçulmano Magdi Cristiano Allam, em 22 de março, no Vaticano, regozijou os convertidos na França. «Agradeço o Papa, que colocou o dedo lá onde dói», comenta em «Le Monde» Mohammed Christophe Bilek, fundador de Notre-Dame-de-Kabylie, em Créteil. «Cada um deve poder ser batizado, isso deriva dos direitos humanos.»

Apesar de seu número crescente, as conversões de muçulmanos ao cristianismo – todas as confissões inclusas – não ultrapassam as daquelas pessoas que se tornam muçulmanas.

Em agosto de 2006, o jornal francês «La Croix» revelava que o fenômeno das conversões ao Islã alcançaria 3.600 pessoas por ano na França, sobretudo nos subúrbios.