França: os dez deputados da esquerda que desafiaram Hollande

São contrários à lei do matrimônio de pessoas do mesmo sexo

Madri, (Zenit.org) Redacao | 610 visitas

Dez deputados de diferentes partidos da esquerda da Assembléia Nacional francesa desafiaram as bandeiras partidárias e votaram contra o projeto de lei do "casamento" entre pessoas do mesmo sexo.

Entre eles – informa a página Religión en Libertad – esta Jérôme Lambert, deputado socialista da Charente e sobrinho-neto do ex-presidente François Mitterrand. Lambert admite que teria votado a favor da lei se ela não contemplasse a adoção. "Eu me recuso a que existam duas categorias de crianças e não quero que seja possível procriar com assistência médica ou gerar por meio dos outros”, disse ao Le Point. Lambert justifica a sua postura em princípios contrários à "mercantilização do vivo e do eugenismo”.

Na mesma linha se manifesta Patrice Carvalho, do grupo Esquerda Democrática e Republicana, que reúne, entre outros, deputados do Partido Comunista. Carvalho, que se define como agnóstico, também teme pelas crianças de casais homossexuais. "Ah, quando forem à escola e lhes digam ‘filho de bicha” ou “filho de lésbica”.

Entre os que votaram contra ou se abstiveram, vários deputados de territórios e províncias ultramarinas. Um deles, Bruno Nestor-Azérot explica que nas suas terras a quase totalidade da população é contrária à lei. Acha que existe um risco de colapso moral, por um lado, e por outro lado, criticou que a lei seja contrária a todos os costumes e tradições da sua terra, a Martinica.

O socialista Jean-Philippe Mallé - que optou por não votar – alega que “em chave antropológica, a diferença sexual estrutura a humanidade”, e reconhece o influxo que teve nele um artigo publicado no Le Monde pelo filósofo Paul Thibaud. "A lei é um abuso dos adultos sobre as crianças: seja um homossexual ou heterossexual, não existe um ‘direito’ à criança”, escrevia uma das cabeças pensantes da revista Esprit.

Os dez deputados de esquerda que disseram "não" à lei são: Bernadette Laclais, socialista; Jerome Lambert, socialista; Patrick Lebreron, socialista; Gabrielle Louis-Carabin, socialista; Ary Chalus, radical republicano; Thierry Robert, radical republicano; Bruno Néstor Azérot, Esquerda Democrática e Republicana; Patrice Carvalho, Esquerda Democrática e Republicana; Alfred Marie-Jeanne, Esquerda democrática e Republicana; Jean.Philippe Nilor, Esquerda Democrática e Republicana.