Francisco na Terra Santa: a peregrinação começa pela Jordânia

Geografia jordaniana abrange lugares do Antigo e do Novo Testamento

Madri, (Zenit.org) Redacao | 475 visitas

No próximo dia 24 de maio, o papa Francisco realizará a sua primeira viagem à Terra Santa. Não é de se estranhar que a primeira parada seja Amã, a capital da Jordânia, já que o país foi testemunha de numerosos fatos narrados na Bíblia.

Às 16 horas, o pontífice argentino deverá celebrar a missa no estádio internacional de Amã. Às 19 horas, visitará o lugar do batismo de Jesus em Betânia da Transjordânia, às margens do rio Jordão. Na mesma localidade, na igreja latina, o papa se encontrará com refugiados e jovens portadores de deficiências.

A visita do Santo Padre durará apenas algumas horas, mas o país merece uma visita de norte a sul pelo histórico Caminho dos Reis Magos. Apresentamos a seguir alguns dos lugares que podem ser descobertos pelos visitantes e que foram mencionados no Antigo e no Novo Testamento.

Anjara: esta cidade é mencionada na Bíblia como um lugar em que Jesus, sua mãe Maria e seus discípulos descansaram durante as suas viagens do Mar da Galileia até Betânia. Hoje existe no local um moderno santuário dedicado a Nossa Senhora da Montanha.

Betânia da Transjordânia: é o lugar bíblico mais importante da Jordânia, situado na margem leste do rio Jordão. Foi lá que João Batista se estabeleceu e também onde batizou Jesus. Foi ainda o cenário do primeiro relato evangélico de uma oração de Jesus feita ao Pai. Finalmente, foi o lugar em que Ele reuniu os primeiros discípulos. Atualmente, há em Betânia uma igreja da época bizantina. Foram encontrados também restos de cinco igrejas paleocristãs.

Madaba: a cidade é mencionada no Antigo Testamento como Medeba. É conhecida como a cidade dos mosaicos, já que possui uma das coleções mais importantes de mosaicos bizantinos de todo o mundo. A joia de Madaba está no subsolo da igreja de São Jorge: um mapa que reproduz a Terra Santa, com destaque para Jerusalém. É considerado o mapa religioso da Terra Santa mais antigo de que se dispõe atualmente.

Monte Nebo: lugar da chegada de Moisés do Egito e de onde ele vislumbrou a Terra Prometida. Conta-se que Moisés foi enterrado no local, embora não se conheça o ponto exato. A partir do Monte Nebo, há belas vistas para o Mar Morto, para o vale do rio Jordão, para Jericó e para as colinas de Jerusalém.

Mar Morto: no entorno do ponto mais baixo da Terra foram vividos os trágicos acontecimentos de Sodoma e Gomorra. Foi lá que a mulher de Lot se transformou em estátua de sal depois de desobedecer a Deus. Diante do Mar Morto, há, de fato, uma formação rochosa que a tradição convencionou chamar de “a estátua de sal da mulher de Lot”. Perto da cidade de Safi há uma igreja e um mosteiro dedicados a Lot, construídos nos arredores da caverna em que se acredita que Lot e suas filhas se refugiaram.

Mukawir: esta região é identificada como o palácio de Herodes, governador romano da região durante a época de Jesus Cristo. Segundo a tradição, foi nesse palácio que Herodes aprisionou João Batista e o decapitou depois da famosa dança de Salomé.

Petra: quase com certeza, a cidade de pedra foi a última parada dos três Reis Magos a caminho de Belém.

O papa Francisco, que anunciou a sua viagem à Terra Santa para os dias 24 a 26 de maio próximos, será o quarto pontífice a visitar os Santos Lugares, depois de Paulo VI, João Paulo II e Bento XVI.