Fraternidade Franciscana de Betânia

Onde a caridade e a oração vencem qualquer dificulade

| 1381 visitas

Por Antonio Gaspari

ROMA, sexta-feira, 9 de dezembro de 2011(ZENIT.org) – Imaginem uma comunidade de frades e freiras vestidos com um tecido celeste. Jovens, alegres, modernos. Reunidos em comunidade onde as pessoas se encontram para viver, comer e rezar juntos.

Cantam e rezam antes e depois das refeições. A comida é fruto da providência, quer dizer, fruto de obras de caridade e de “esmola” pedida diariamente nos supermercados, mercados, padarias,...

Tudo o que serve para a comunidade é consumido e o resto partilhado com outras associações, grupos, asilos,...

Nestas comunidades tudo é dividido fraternalmente, é possível encontrar um lugar para dormir e viver, partilhar as alegrias e tristezas, mas principalmente, se reza e muito, mesmo de noite.

Leigos e consagrados, vivendo nos modelos das primeiras comunidades cristãs, onde viviam juntos a própria experiência de fé, consagrados, famílias e peregrinos.

Não se trata de um sonho, mas da Fraternidade Franciscana de Betânia, fundada em 1982 por Pancrazio Gaudioso e aprovada pela Igreja como Instituto de vida consagrada em 1998.

É a primeira comunidade mista moderna reconhecida pela Igreja. O seu carisma se exprime na oração e no acolhimento aos peregrinos. O seu crescimento em número e comunidades é incrível.

Os membros da Fraternidade não se contentam com a solidariedade, mas a praticam, como ensinado por São Francisco e reiterado da encíclica Caritas in veritate, a partilha total como irmãos e irmãs de uma mesma família.

Para saber mais, ZENIT entrevistou Frei Roberto Fusco.

O que é a Fraternidade Franciscana de Betânia? Quando nasceu? Quem fundou? Por que foi fundada? Com qual objetivo?

Fr.Roberto: A Fraternidade Franciscana de Betânia é um Instituto de vida consagrada de Direito diocesano que no estilo das primeiras comunidades cristãs, iluminada pelo Espírito Santo, pelo exemplo do seráfico pai São Francisco, procura encarnar o fazer de Marta e o silêncio de Maria, tendo como doce modelo e inspiração a Virgem Mãe, serva do Senhor.

A Fraternidade é composta por irmãos, tanto clérigos como leigos, que se consagram a Deus mediante voto público de castidade, pobreza e obediência e se dedicam a obras de apostolado segundo o carisma de oração e acolhimento na vida fraterna.

A Fraternidade nasceu oficialmente no dia de Pentecostes em 1982, quando o nosso fundador, Pe. Pancrazio Gaudioso, depois de um período de preparação e de vida comum com um pequeno grupo de leigos, começou a vida comunitária junto ao convento dos frades capuchinhos de Terlizzi, na província de Bari.

Inicialmente, Pe. Pancrazio não tinha nenhuma intenção de empreender uma nova fundação; se tratava simplesmente de responder um desejo, aquele seu e de algumas pessoas que o seguiam espiritualmente, de uma vida mais intensa de oração e partilha fraterna. Pe. Pancrazio tinha recebido alguns anos antes, um programa de vida de São Pio da Pietrelcia, no qual o santo capuchinho lhe sugeria de voltar os olhos para o mistério de Betânia.

Este foi o vilarejo onde Jesus teve amigos de verdade, e nas duas irmãs de Lázaro, Marta e Maria, está bem resumido todo o sentido da vida cristã. Além disso, Pe Pio, sugeria a Pe. Pancrazio de ter sempre diante de si, como modelo e síntese perfeita, a Virgem Maria.

Então, quando começou a experiência da fraternidade, Betânia foi o ponto de referência espiritual com o qual os primeiros irmãos e irmãs respeitaram para viver a vida de oração e acolhimento, na simplicidade da vida fraterna, assim como São Francisco de Assis tinha compreendido tantos séculos antes. Por isso a nossa, não é uma comunidade dividida em dois ramos, mas uma única família religiosa composta de irmãos e irmãs: esta foi a intuição inicial do nosso fundador, e assim levamos adiante, procurando ser fiéis ao espírito da Betânia evangélica.

Qual é o carisma de vocês? É verdade que vocês rezam muito? Fazem adoração todas as noites?

Fr. Roberto: O carisma da FFB, traçando a experiência da Betânia evangélica, é aquele da oração e do acolhimento vividos em um contexto de vida fraterna profunda.

A nossa vida prevê cerca de 5 horas de oração cotidiana divida entre o dia e a noite.

A oração abraça quase todos os tipos de oração cristã; o vértice é certamente o da Celebração eucarística comunitária, mas também estão presentes outras formas de piedade da tradição católica: adoração eucarística, liturgia das horas, rosário, oração de louvor espontânea ... Damos uma atenção particular para oração da noite; nosso fundador nos lembra sempre que, o dia em que deixarmos a oração da noite, acaba nossa comunidade!

Toda noite os irmãos e irmãs se levantam das 3 às 4, para acompanhar em oração principalmente o Santo Padre, e para pedir- por nós e pelos outros- todas as graças necessárias para viver. Além disso, nossa fraternidade (já são 10 em todo o mundo) pratica a hospitalidade, sobretudo para pessoas que buscam repouso na oração e na vida fraterna. Dirigimos uma atenção particular a duas categorias: as famílias e os sacerdotes, cansados dos trabalhos apostólicos.

É verdade que vocês vivem somente da caridade? Que a comida e bebida disponíveis são fruto da Providência?

Fr. Roberto: Nós, em todas as fraternidades, acolhemos pessoas que vem partilhar da nossa experiência de vida fraterna, mas nunca quisemos receber senão oferta livre daqueles que frequentam e de todos que inspirados pelo Senhor, querem nos ajudar. É uma maneira de confiar na Providência que nunca deixou faltar nada... Uma vez, São Pio disse ao nosso fundador: “A caridade te segue e não te antecipa!”. É assim: todas as obras, as casas e tudo o que fizemos em trinta anos é fruto da Providência. Confiamos- e continuaremos a fazer- como nas palavras de Jesus : “Procurai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, o resto lhe será dado”. Tudo vem da Providência, e a nós cabe agradecer por este grande milagre que cada dia se repete debaixo dos nossos olhos.

 (Tradução:MEM)