Frente à mudança climática, há que se concentrar na ajuda aos pobres

Líderes eclesiásticos e especialistas em clima pedem mais liderança

| 1236 visitas

ROMA, terça-feira, 1º de setembro de 2009 (ZENIT.org).- A união de agências católicas para o desenvolvimento CIDSE e a Cáritas Internacional, que juntas representam a maior aliança humanitária e para o desenvolvimento na luta contra a pobreza em mais de 200 países, anunciaram que enviarão uma delegação ao encontro das Nações Unidas sobre a mudança climática, que acontecerá em Nova York em 22 de setembro.

Junto à CISDE e a Cáritas, os líderes eclesiais e os especialistas em clima dos países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento pedirão aos líderes mundiais que dêem a máxima prioridade a um novo espaço climático.

“Nós os exortamos a pensar nas populações mais pobres do mundo, porque é necessária uma ação valente para defendê-los dos impactos devastadores da mudança climática”, afirmam em um comunicado recebido por ZENIT. 

O cardeal britânico Keith O’Brien, chefe da delegação em Nova York, afirmou: “os países ricos têm um dever moral inequívoco de reduzir suas próprias emissões e de ajudar os países em vias de desenvolvimento, que já sofreram as consequências de nosso uso excessivo de combustíveis fósseis com propósito de lucro”.

Os líderes mundiais se encontrarão em Nova York para reunir a vontade política necessária para “selar um acordo” (“Seal a Deal”) na conferência das Nações Unidas sobre a mudança climática, que acontecerá em Copenhague de 7 a 18 de dezembro.

Mais informação em www.cidse.org e www.caritas.org