Frutos de santidade na Família Paulina

Com a palavra, o novo postulador geral para as causas do santos da obra, Pe. José Antonio Pérez, SSP

| 854 visitas

ROMA, sexta-feira, 3 de dezembro de  2010 (ZENIT.org) – Entrevistado por ZENIT, o novo postulador geral para as causas dos santos da Família Paulina, o Pe. José Antonio Pérez, SSP, referiu-se à obra como um laboratório de santidade.


A Família Paulina (http://www.alberione.org), composta por cinco congregações, quatro institutos de vida secular consagrada e uma associação leiga foi fundada pelo Beato Tiago Alberione (1884-1971), segundo inspiração recebida por Deus em 31 de dezembro de 1900, na virada do século.

ZENIT: Ao começar no cargo, assume uma tarefa de grande responsabilidade.

José Antonio Pérez: Sim, comecei com a confiança de que farei tudo o que possa e o resto fará o Senhor e os interessados, que são os beatos e veneráveis da Família Paulina.

ZENIT: Quais paulinos estão em processo de canonização?

José Antonio Pérez: Atualmente são sete. Além do fundador, o Beato Tiago Alberione, está o Beato Timoteo Giaccardo, que foi o primeiro sacerdote e vigário geral.

Os veneráveis são: a co-fundadora das Filhas de São Paulo, Ir. Tecla Merlo; o Ir. Andrés Borello; o joven aspirante Maggiorino Vigolungo, que morreu aos 14 anos; e o Cônego Francisco Chiesa, que foi diretor espiritual e colaborador incondicional do Pe. Alberione desde  as origens da fundação, pelo que se lhe considera parte a Família Paulina. Além disso há a primeira Madre das Pias Discípulas do Divino Mestre, Serva de Deus Ir. Escolástica Rivata, falecida em 1987.

ZENIT: Que características são constantes neste grupo de paulinos?

José Antonio Pérez: O fundador tinha uma grande capacidade para contagiar a paixão com que vivia o chamado de Deus ao novo apostolado, unindo a profunda vida interior com uma atividade apostólica desbordante. Sem dúvida, todos eles seguiram as pautas do fundador para viver essa mesma síntese.

ZENIT: Quais são seus planos para fazê-los mais conhecidos?

José Antonio Pérez: Deve cultivar-se e manter viva essa fama de santidade que já possuem. Para isso, é preciso divulgar sua biografia, imprimir estampas e produzir outros materiais com muita intensidade. Devemos promover encontros nos lugares onde nasceram e viveram, como Alba ou Roma, além de promover mais as peregrinações a esses lugares.

ZENIT: O padre geral dos paulinos disse que a prova de santidade de Alberione está na santidade de seus filhos espirituais…

José Antonio Pérez: É uma frase acertada. Justamente o mesmo fundador, sendo ainda jovem, dizia a seus filhos que só tinha duas preocupações – apesar de todos os problemas que tinha: que ele não era suficientemente bom e que eles não eram santos o suficiente.

ZENIT: Os paulinos estão a ponto de celebrar o primeiro centenário em 2014…

José Antonio Pérez: Sim, e os próximos anos serão de preparação para celebrar este centenário do nascimento da Família Paulina, que começou em 1914 com a Sociedade de São Paulo. Sem dúvida  será um acontecimento na linha marcada por nosso último Capítulo geral, que propunha fazer frente ao futuro com fidelidade criativa, mantendo a essência do carisma paulino e adaptando-o aos tempos modernos.

ZENIT: Ao começar na nova função, o que pediria aos membros da Família Paulina?

José Antonio Pérez: Peço-lhes muita oração. O que Deus não fizer ficará sem fazer. Peço também que promovam o conhecimento dos nossos “santos”, pois considero importante que se conheça estes verdadeiros protagonistas da nova evangelização. Assim as pessoas terão como pontos de referência, modelos para enfrentar este desafio da Igreja na cultura da comunicação que vivemos hoje.