Fundação Populorum Progressio abre reunião anual em Bogotá

Financiamento de projetos em favor dos povos indígenas da América Latina será avaliado

| 787 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 24 de julho de 2012 (ZENIT.org) - Começa hoje e termina sexta-feira 27 de julho, a reunião anual do Conselho de Administração da Fundação Populorum Progressio, dirigida desde a sua fundação em 1992, para o Pontifício Conselho Cor Unum.

A reunião acontece em Bogotá, no Centro de Espiritualidade e Pastoral da Conferência Episcopal da Colômbia, para analisar o financiamento de projetos em favor dos indígenas, mestiços e afro-americanos na América Latina e no Caribe.

 Fazem parte do Conselho de Administração, o cardeal Robert Sarah, presidente da Fundação e do Pontifício Conselho Cor Unum; o Cardeal Juan Sandoval Iñiguez, arcebispo de Guadalajara (México) e presidente do Conselho de Administração; o arcebispo Edmundo Luis Abastoflor Montero, de La Paz (Bolívia), vice-presidente; o arcebispo Murilo Sebastião Ramos Krieger, de São Salvador da Bahia, Brasil; arcebispo Javier Augusto Del Rio Alba, de Arequipa, Peru; o arcebispo Antonio Arregui Yarza, de Guayaquil, Equador; o arcebispo Oscar Urbina Ortega, de Villavicencio, Colômbia e o monsenhor Segundo Tejado Muñoz, sub-secretário do Pontifício Conselho Cor Unum. Dois novos membros este ano farão parte do Conselho: Monsenhor Seastião Ramos Krieger, novo representante do Brasil e do monsenhor Javier Del Rio Alba, representante do Peru.

A Fundação Populorum Progressio recebe fundos para poder trabalhar, principalmente do Comitê de ajuda ao Terceiro Mundo da Conferência Episcopal Italiana, e de doadores privados. O Conselho de Administração da Fundação, tradicionalmente realiza suas reuniões em um país da América do Sul, com o objetivo de tornar conhecidas as suas atividades nas Igrejas locais.

Este ano, 203 projetos foram apresentados em um valor total de 2.908.727 dólares provenientes de 19 países. Como nos anos anteriores, as nações mais "ativas" na apresentação dos projetos foram: Brasil (59), Colômbia (42), Peru (15), Equador (16) e El Salvador (6), países onde as populações apoiadas pela Fundação são mais numerosas. Foram apresentados projetos do Haiti (12), Guatemala (5), Argentina (5), Bolívia (10), Paraguai (4), Chile (4), Cuba (5), Costa Rica (6), México (3); Venezuela (2), Nicarágua (3), República Dominicana (2), Honduras (2) e Uruguai (2).

 A Fundação está em uma fase de renovação de seus membros e do secretariado. Na intenção de fornecer novas ferramentas para a divulgação das atividades da Fundação e será apresentado aos membros um projeto proposto por um especialista em fundações, Juan Carlos Navarro, com a ajuda do consultor jurídico da Cor Unum, Dom Silvério Nieto, que contém possíveis elementos de mudança no método de trabalho da Fundação. Nesta reunião também serão eleitos o novo Presidente e o Vice-Presidente do Conselho de Administração.

(Tradução:MEM)