Fundação Populorum Progressio estuda financiamento de projetos na América Latina e no Caribe

Destinatários serão comunidades indígenas, mestiças, afro-americanas e agrícolas

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Redacao | 373 visitas

O conselho de administração da Fundação Populorum Progressio para a América Latina delibera nesta semana sobre o financiamento de projetos em favor das comunidades indígenas, mestiças, afro-americanas e agrícolas da América Latina e do Caribe. A questão será abordada durante a reunião anual que acontece no Vaticano de 10 a 14 de junho.

O encontro será também uma "oportunidade de reflexão, com base nas orientações do Santo Padre sobre a modalidade mais eficaz para se realizar o serviço de caridade da 'Igreja pobre e para os pobres', que vive a sua missão voltada para as periferias humanas e existenciais, em favor, principalmente, dos mais necessitados", indica o comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé.

A fundação foi confiada por São João Paulo II ao Pontifício Conselho Cor Unum desde a sua instituição, em 1992. Até a data, os projetos concretizados pela fundação beiram os 4.000, financiados com mais de 35 milhões de dólares. "Todos os projetos se caracterizam por um enfoque participativo das comunidades locais e abrangem diversos setores: agricultura e criação de animais, artesanato e microempresas, infraestrutura para o acesso à água potável, formação e material escolar, saúde e saneamento, construção, etc".

Os membros do Conselho são o cardeal Robert Sarah, presidente “ex officio” da fundação; dom Edmundo Luis Flavio Abastoflor Montero, arcebispo de La Paz, na Bolívia, e presidente do Conselho de Administração; dom Antonio Arregui Yarza, arcebispo de Guayaquil, no Equador, vice-presidente; cardeal Nicolás de Jesús López Rodríguez, arcebispo de Santo Domingo, na República Dominicana; dom Oscar Urbina Ortega, arcebispo de Villavicencio, na Colômbia; dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, arcebispo de Salvador, na Bahia; dom Javier del Río Alba, arcebispo de Arequipa, no Peru, e dom Segundo Tejada Muñoz, representante do Pontifício Conselho Cor Unum.

Entre os principais apoiadores da Fundação Populorum Progressio, além de participações individuais, encontra-se a Conferência Episcopal Italiana.