Guatemala: Igreja pede melhor proteção para imigrantes nos EUA

Apoia petição de facilitação imigratória temporária apresentada pelo governo guatemalteco

| 1153 visitas

GUATEMALA, segunda-feira, 28 de junho de 2010 (ZENIT.org) - A Igreja Católica na Guatemala considera pouco provável que o governo norte-americano outorgue o Status de Proteção Temporária (Temporary Protected Status) aos imigrantes guatemaltecos em decorrência dos danos causados pelo furacão Agatha ao país da América Central.

O sacerdote Mauro Verzeletti, representante da Pastoral de Mobilidade Humana da Conferência Episcopal da Guatemala (CEG), reconheceu a "vontade política" do governo do presidente Álvaro Colom ao solicitar, no início de junho, o TPS, mas considera que "não há condições políticas" favoráveis nos EUA para a concessão do benefício, segundo informou a agência de notícias mexicana Notimex.

Em 1998, por motivo da emergência provocada pela passagem do furacão Mitch - que devastou a América Central -, o governo da Guatemala rejeitou solicitar o TPS, que implica em permissões temporárias de residência nos EUA.

Na ocasião, as autoridades guatemaltecas consideraram desnecessária uma solicitação oficial de TPS. Outros países afetados pelo furacão, porém, obtiveram o benefício e puderam renová-lo posteriormente.

O dirigente do Movimento de Imigrantes Guatemaltecos nos EUA, Edgar Ayala, reconheceu, por sua vez, a decisão do presidente Colom de solicitar oficialmente o benefício às autoridades norte-americanas e está otimista.

Cerca de 1,5 milhão de guatemaltecos vivem atualmente nos EUA - em sua maioria na condição de indocumentados.

O furacão Agatha atingiu duramente a Guatemala entre os dias 29 e 31 de maio passado, deixando 165 mortos, 78 desaparecidos e milhares de desabrigados.