Homilética: Quarto domingo do Advento

Comentário do Pe. Antonio Rivero, L.C. sobre a liturgia dominical

São Paulo, (Zenit.org) Pe. Antonio Rivero, L.C. | 588 visitas

Ciclo A

Textos: Isaías 7 , 10-14; Romanos 1, 1-7; Mateus 1, 18-24

Ideia principal: esse Deus que nasce é Deus-conosco, Emanuel. Façamos-Lhe um lugar no nosso coração, como Maria.

Resumo da mensagem: Depois de nos ter convidado a despertar (primeiro domingo do advento), a converter-nos (segundo domingo), e a alegrar-nos (terceiro domingo), hoje Deus nos convida aolhar a Maria, pois através Dela nos veio o Emanuel.

Aspectos da idéia:

Em primeiro lugar, esse Deus que vem através de Maria não é somente “o Deus que é... o que está... o que vê a dor do seu povo”, mas que é o “Deus conosco que nos salva” (primeira leitura e evangelho). Deus feito homem, da estirpe de Davi (segunda leitura), cujo ultimo elo será José. É Emanu-El. Jesus é “Emanu”, isto é, “conosco”; é um de nós, nosso irmão. Mas Jesus é “El”, isto é, Deus. Se estivesse só “conosco”, mas não fosse “Deus”, não poderia salvar-nos. Se fosse só “Deus”, mas não “conosco”, a sua salvação não nos interessaria; Ele seria como um Deus desconhecido, longe das esperanças do homem. Dom gratuito de Deus à Maria e à humanidade. Isso foi possível “por obra do Espírito Santo”, e isso significa que está em processo uma “nova criação”. Este é o mistério teológico e profundo do Natal: de Deus Altíssimo que se tornou um Deus próximo, um Deus para os homens. Na primeira criação, Deus nos falava de um modo distante, através dos profetas. Agora, na nova criação, é Deus que nos fala ao coração através do seu filho.

Em segundo lugar, fixemos o olhar em Maria, de que nos veio o Emanuel. Deixou-se invadir pelo Espírito e pelo mistério. Engravidada por Deus, sem perder a virgindade. Como é a minha relação com o Espírito Santo?

Finalmente, se Deus está conosco e é o Emanuel, nada nem ninguém pode nos separar Dele. Isso sim, nós podemos dar-lhe as costas, viver como se Ele nunca tivesse vindo, como se nunca tivesse falado. Não nos serve para nada nem sequer que Deus esteja conosco, se não queremos estar com Ele, estar do seu lado. Por isso, o Natal é uma ocasião para sentir de novo a necessidade deste Salvador. E esta Salvação nos oferece em cada Eucaristia.

Para refletir: deixar este Emanuel nascer no nossa alma e estar conosco em casa, no nosso trabalho, nos nossos objetivos, nos nossos projetos. Só Nele está a salvação e a autêntica libertação. E com Ele alcançaremos a santidade, a graça e a paz (segunda leitura).

Qualquer recomendação ou pergunta podem comunicar-se com o Pe. Antônio pelo seguinte e-mail: arivero@legionaries.org