Homilética: Segundo domingo do Tempo Ordinário

Comentário do Pe. Antonio Rivero, L.C. sobre a liturgia dominical

São Paulo, (Zenit.org) Pe. Antonio Rivero, L.C. | 517 visitas

HOMILÉTICA

COMENTÁRIO À LITURGIA DOMINICAL

Segundo domingo do Tempo Ordinário

Ciclo A

Textos: Isaías 49, 3.5-6; 1 Co 1, 1-3; João 1, 29-34.

P. Antonio Rivero, L.C. Doutor em Teologia Espiritual, professor e diretor espiritual no seminário diocesano Maria Mater Ecclesiae de São Paulo (Brasil).

Idea principal: Este Deus que veio ao mundo se fez Servo.  

Resumo da mensagem: Jesus, o Filho de Deus, depois de sua vida oculta em Nazaré, vai alegremente a sua vida pública aos trinta anos com sua carteira de identidade: é Servo. Sua impressão digital é muito clara e legível: “Eu vim para servir, não para ser servido”.

Pontos da ideia principal:

Em primeiro lugar, Jesus é servo para servir primeiro o seu Pai celeste, glorificando e incansavelmente cumprindo a missão de ser luz e poder reunir o seu povo e trazer de volta a Deus para os sobreviventes (primeira leitura). Este servo vai sentir cansaço, é verdade, mas nunca será em vão. E, embora os resultados não atendam as suas expectativas e esforços, ele está em paz, porque trabalhou para a glória de seu Pai e a recompensa virá d’Ele.

Em segundo lugar, Jesus também é servo para servir à humanidade, a cada homem e mulher. Para cumprir sua missão de servo é revestido em Cordeiro que se imolará e sacrificará para nos livrar do pecado (evangelho) e dar-nos o Espírito de santidade. Este título inclui as seguintes características: Cordeiro vencedor, Cordeiro expiatório, Cordeiro Pascal libertador. A Jesus na cruz, como ao cordeiro pascal, não será quebrado nenhum osso. Como Jesus tira os pecados da humanidade? Assumindo a condição humana de servo e se oferecendo na cruz, em oferta voluntária e serviço de amor. Da cruz nos dá o Espírito Santo que purifica e perdoa todos os nossos pecados.

Finalmente, cada seguidor de Cristo deve viver nesta dimensão de servo em todos os lugares e com todos: com Deus, na família, no trabalho, nas comunidades. Servir a Deus com uma vida santa (segunda leitura). Servir à família com uma vida inteira de dedicação, sacrifício e exemplo para os filhos. Servir no trabalho com uma vida honesta. Servir nas comunidades através de disponibilidade desinteressada nos vários apostolados que surjam.

Para refletir: Qual é a minha atitude, de servo ou de senhor? Sei servir ou gosto de dominar? Sirvo com amor ou por cumprir?

Para qualquer sugestão ou dúvida, podem se comunicar com o padre Antônio neste e-mail: arivero@legionaries.org