Homilética: Solenidade da Ascensão do Senhor

Comentário do Pe. Antonio Rivero, L.C. sobre a liturgia dominical

São Paulo, (Zenit.org) Pe. Antonio Rivero, L.C. | 612 visitas

Ciclo A

Textos: Atos dos Apóstolos 1, 1-11; Ef. 1, 17-23; Mt 28, 16-20

P. Antonio Rivero, L.C., Doutor em Teologia Espiritual, professor e diretor espiritual no seminário diocesano Maria Mater Ecclesiae de São Paulo (Brasil).

Ideia principal: a Ascensão é a festa da libertação, exaltação e salvação.

Resume da mensagem: Hoje a Santa Igreja celebra o mistério da Ascensão do Senhor, que, junto com o mistério de Pentecostes, que festejaremos no próximo domingo, configura a consumação do grande mistério da Encarnação do Filho de Deus, Jesus Cristo Nosso Senhor, e vem a ser a festa da libertação, exaltação e salvação.

Pontos da ideia principal:

Em primeiro lugar, sim, a Ascensão é a festa da libertação, pois é uma partida de Cristo para ao Pai, depois de cumprir a sua missão redentora aqui na terra. Libertação da solidão e do pranto, dos afãs desta vida, das fraquezas passionais do coração, das inclemências desta sociedade, do ódio e guerras, como declarou o Papa Francisco em Belém; da impertinência dos homens, ou como diria Teresa de Ávila, de “este cárcere e estes ferros nos quais a alma está metida”. E com a libertação,  vem o grito de alegria e júbilo. Por quê querer seguir amarrado a tantas cadeias? Por quê não ir desde agora desatando tantos fios que nos ligam a esta terra e assim experimentar no coração esta verdadeira liberdade que Cristo ganhou para nós com a sua Ascensão?

Em segundo lugar, sim, a Ascensão, além de ser uma libertação é uma exaltação. É a exaltação de Cristo como Filho predileto do Pai, agora já sentado à direito de Deus. O Filho de Deus, que na terra não tinha onde reclinar a sua cabeça. Exaltação depois da terrível humilhação da paixão e morte, nas quais se rebaixou Jesus Cristo, Nosso Senhor. Exaltação, mas mostrando já gloriosos os sinais e os estigmas da sua flagelação. Hoje é o dia da exaltação dos grandes valores transcendentais frente aos contravalores terrenos. Os valores da alma, do espírito. Os valores religiosos, os valores éticos e morais. Hoje é o dia em que Deus exaltou a humildade de Cristo e a nossa, sobre a soberba; a caridade de Cristo e a nossa, sobre o ódio e egoísmo; o perdão de Cristo e o nosso, sobre as vinganças; a obediência de Cristo e a nossa, sobre as rebeldias; a vida santa de Cristo e a nossa, sobre a mediocridade e a tibieza. Bendita festa da exaltação autêntica!

Finalmente, a Ascensão é o dia da salvação. A salvação existe e é possível. Hoje temos um homem seguro da sua salvação: Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

Hoje temos um homem-Deus que nos oferece a sua salvação, e por isto nos precedeu e nos está preparando esta salvação que é o céu. Já está preparando os quartos para cada um de nós. Sem exceção. Todos querem chegar? Isto é motivo de grande alegria para todos. A salvação é possível! Também para os homens e mulheres, e não só para os anjos. A nossa natureza humana participará também desta salvação em Cristo e com Cristo. E devemos proclamar aos quatro ventos esta salvação total, corpo e alma, porque nos dá paciência na luta, alegria na vida, fortaleza nas dificuldades Lutemos para conquistar este céu já aberto e conquistado para nós por Cristo! E este céu tem um nome: é Jesus e a sua amizade.    

Para refletir: podemos resumir tudo o que foi dito nestes versos do poeta Frei Luís de Leão: “E deixas, Pastor santo, Tua grei neste vale fundo, escuro, com solidão, e pranto, e tu, rompendo o puro ar, te vais ao imortal seguro?” (Oda XVIII). Experimento a Ascensão do Senhor como um convite à libertação, à exaltação e à salvação da minha própria vida escondida em Cristo?


Para qualquer sugestão ou dúvida, podem se comunicar com o padre Antônio neste e-mail: arivero@legionaries.org