Homilética: XVI domingo do Tempo Comum

Comentário do Pe. Antonio Rivero, L.C. sobre a liturgia dominical

São Paulo, (Zenit.org) Pe. Antonio Rivero, L.C. | 461 visitas

Ciclo A

Textos: Sab 12, 13.16-19; Rm 8, 26-27; Mt 13, 24-43

Ideia principal: Por que Deus permite tanto joio-tanto mal- no campo do mundo?

Resumo da mensagem: A essa pergunta nos responde a primeira leitura de hoje: “Ao pecador lhe dás tempo para que se arrependa”. E para isso, Deus nos manda o seu Espírito que nos ajuda na nossa debilidade (segunda leitura). Mas também temos que colocar a nossa parte: vigilância, porque o inimigo da nossa alma não dorme e quer semear o seu joio nos momentos de sonolência e distração da nossa parte (evangelho).

Pontos da ideia principal:

Em primeiro lugar, é um fato que Deus dia e noite semeia no nosso coração excelente semente de bondade, verdade, beleza, honestidade, justiça, pureza, caridade. E faz isso só ao entrarmos com a alma aberta em oração e abrirmos a Bíblia, ou só ao irmos à missa e participarmos consciente e fervorosamente da mesa da Palavra e da Eucaristia, ou quando escutamos atentamente uma homilia ou assistimos com prazer um retiro, ou estamos sentados conversando com bons amigos, ou no meio de um contratempo ou doença. Deus nunca dorme.

Em segundo lugar, mas também é um fato que o inimigo da nossa alma, o diabo, também não dorme, e nos espia e nos rodeia como um leão a rugir, buscando quem devorar. Ele não quer destruir a boa semente de Deus, mas quer semear o seu joio para ele cresça e se confunda com a semente boa, e inclusive quer conquistar essa boa semente e convertê-la em joio. E tudo com um único objetivo: perder a nossa alma. Não quer que o bom trigo de Deus se expanda pelos cantinhos deste mundo, das famílias, dos corações. Quer semear o joio do ódio, da divisão, da insensibilidade e da indiferença diante de tanta pobreza e miséria de muitos de nossos irmãos. E quer semeá-la no campo da medicina com esses métodos anticonceptivos e abortivos; no recinto sagrado do matrimônio semeando a ideologia de gênero e aplaudindo a legalização das uniões de pessoas do mesmo sexo; no campo da cultura, inoculando o liberalismo e a ditadura do relativismo; até mesmo já entrou na Igreja santa de Cristo e semeou e provocou durante séculos e séculos heresias e cismas e escândalos.

Finalmente, qual é a relação de Deus diante da ação do inimigo? Ele poderia perfeitamente arrancar de uma vez o joio e tampar a boca de Satanás, e estava acabado, pois para isso é onipotente. Mas não Ele não faz isso. Alguma razão terá no seu coração; sim, o seu amor misericordioso. Por uma parte, tem paciência e misericórdia e espera que algum dia esse joio se converta em bom trigo, pois Ele não quer a morte do pecador, mas que se converta e viva. Por outra parte, também quer que o bom trigo faça sem parar e com consciência o seu trabalho de fermento e seja provado diante do joio, para que assim se fortaleça e cresça mais firme e convencido. Deus nos quer livres e respeita a nossa liberdade.

Para refletir: olhando o meu coração, o que abunda: boa semente ou joio? Se existe mais, boa semente, o que faço para fazê-la crescer, molhá-la, adubá-la, derramá-la por onde for com a ajuda de Deus e do seu Espírito? E se existe joio, o que estou esperando para ir convertendo-o em boa semente, desde a oração e os sacramentos?

Qualquer sugestão ou dúvida podem se comunicar com o padre Antonio neste e-mail:

 arivero@legionaries.org