Humildade abre caminho para vivência do amor, diz arcebispo

Para Dom João Braz de Aviz, deve-se cultivar o caminho da fraternidade

| 773 visitas

BRASÍLIA, segunda-feira, 3 de setembro de 2007 (ZENIT.org).- Segundo o arcebispo de Brasília, a humildade «abre caminho em nossa vida para experimentarmos o amor e, por isso mesmo, para conhecermos Deus que é amor».



Em mensagem no contexto do Evangelho desse domingo, Dom João Braz de Aviz explica que a humildade «cria em nós o relacionamento feito de gratuidade, de simplicidade, de valorização dos demais».

«Somente a humildade, que é expressão do amor, é capaz de nos aproximar dos pobres, dos aleijados, dos coxos, dos cegos e assim nos fazer experimentar a felicidade», destaca, no texto difundido pelo site de sua arquidiocese.

Segundo o arcebispo, vive-se hoje em dia numa sociedade onde prevalece a cultura do “quem pode mais chora menos”, onde pode parecer contraditória a afirmação de Jesus: “Quem se eleva será humilhado e quem se humilha será elevado” (Lc 14,11).

«De fato hoje criou-se uma mentalidade de competição, em nome de uma necessidade de vencer sempre, de tirar proveito em tudo, de sucesso, de ser o número um, com o resultado conseqüente de que os outros, deixados para trás nesta corrida desvairada, não contam mais, não têm importância. São deixados à margem da vida.»

De acordo com Dom João Braz, a malícia deste comportamento individual e coletivo que se enraizou neste tempo está, sobretudo, na destruição do caminho da fraternidade.

«Para que poucos sejam os primeiros e os que tiram mais proveito, muitos não são mais considerados como irmãos. A vitória do orgulho compromete e neutraliza o desenvolvimento da fraternidade e, ao mesmo tempo, impossibilita o conhecimento de Deus.»

O arcebispo explica, nesse contexto, que é preciosa a advertência do Livro do Eclesiástico: “Na medida em que fores grande, deverás praticar a humildade, e assim encontrarás graça diante do Senhor. Muitos são altaneiros e ilustres, mas é aos humildes que ele revela seus mistérios” (Eclo 3,20).

«De fato quando nós ocupamos o centro e escolhemos os primeiros lugares nos relacionamentos, anulamos o lugar do outro e, o que é mais grave, retiramos Deus do lugar que lhe é devido», afirma.

Segundo Dom João Braz, a Palavra de Deus convida esta semana «a viver um novo relacionamento com cada pessoa, abrindo-nos para a atitude da humildade diante de cada pessoa».

«Este é um caminho que conduz à felicidade que buscamos. Neste novo encontro com o irmão, com a irmã, descobriremos um novo encontro, mais profundo, com Deus», afirma.