Humildade, o caminho rumo a Deus

Primeiro livro com a assinatura do papa Francisco, baseado em comentário de Doroteu de Gaza (século VI d.C.)

Roma, (Zenit.org) Daniele Trenca | 805 visitas

O primeiro livro com a assinatura do papa Francisco é um hino à humildade. Uma virtude que os fiéis apreciaram desde o momento da sua eleição ao pontificado. Aquele gesto de pedir ao povo reunido na Praça de São Pedro para rezar por ele abriu passagem imediatamente no coração dos católicos. Um ato cheio de humildade, pois Bergoglio sempre esteve consciente de que só conseguirá conduzir a barca de Pedro com apoio no Senhor, pedindo a ele o discernimento de cada dia com a ajuda espiritual dos fieis do mundo inteiro.

O livro Humildade, o caminho rumo a Deus (2013) resgata um discurso do então cardeal Bergoglio aos fiéis de Buenos Aires, em 2005. É um pequeno volume baseado em um comentário de Doroteu de Gaza, um dos Padres da Igreja do século VI depois de Cristo.

A humildade é apresentada não como uma virtude dos fracos, mas como a única via de comunhão com os outros e, portanto, de mais proximidade com Deus. Ela é resultado de um processo de anos, porque não é um sentimento inato, mas exige trabalho constante de auto-exame e postura de serviço, nunca de superioridade.

Exatamente o que o papa Francesco está mostrando neste primeiro período como pontífice: a importância de ser um servo dos outros, e não de ser servido. Como Cristo tornou-se humilde, cada um de nós é chamado a imitá-lo para chegar a Deus e encontrar a paz que só Ele pode dar. É uma qualidade que desafia toda pessoa em toda época histórica: dos religiosos aos pais de família, sem exceção. Jesus Cristo, com a sua mensagem revolucionária, veio à Terra para perturbar a dinâmica do mundo: todo aquele que quiser ser o primeiro, deve começar pelo último lugar. Discursos que hoje em dia podem ter o significado de um verdadeiro insulto. Um texto que, apesar de curto, é muito intenso, sobre uma das mais elevadas virtudes que derivam de Cristo.

O comentário final de Enzo Bianchi, prior de Bose, embeleza ainda mais o pequeno livro, que atualiza o discurso de Doroteu de Gaza com o ensinamento do papa Bergoglio. Um livro que recupera a esperança e que pode iluminar situações difíceis à luz do Espírito. Para ler e reler.