Igreja na Espanha retoma o desafio de Aparecida

Por ocasião do Dia Hispanoamericano

| 789 visitas

MADRI, quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008 (ZENIT.org-Veritas).- O Dia Hispanoamericano, que a Igreja na Espanha celebra no primeiro domingo de março, gira pelo segundo ano consecutivo em torno da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, que aconteceu em Aparecida (Brasil), no mês de maio passado.

Todas as dioceses espanholas celebrarão esta Jornada em 2 de março próximo sob o lema «América Latina, continente em missão», que «nos coloca este ano de imediato frente àquilo que podemos considerar como o fruto mais importante» da Conferência de Aparecida: «uma consciência renovada da missão “ad gentes” para o presente e o futuro da América Latina», como recorda o presidente da Pontifícia Comissão para América Latina, cardeal Giovanni Battista Re, na mensagem enviada à Igreja na Espanha por ocasião da festividade.

Recordando a mensagem que Bento XVI deixou em sua primeira visita pastoral à América Latina ao inaugurar a V Conferência, o cardeal sublinha que «na atualidade e mais que em outros tempos se deve reforçar a evangelização».

«A situação de “real enfraquecimento” da fé cristã que é fácil constatar em não poucos âmbitos da vida social e da cultura, como o indicava o Santo Padre em Aparecida, faz mais urgente e importante o chamado à conversão pessoal e a uma mudança de vida integral, de maneira que sejamos verdadeiros discípulos e missionários de Jesus Cristo», sublinha o cardeal Re.

O presidente da Pontifícia Comissão para América Latina faz uma menção especial à «vocação missionária, que desde há muitos séculos» caracterizou a Espanha, e especialmente à que se pôs de manifesto nos últimos anos “através dos mais de 2.300 sacerdotes da Obra de Cooperação Sacerdotal Hispanoamericana (OCSHA) que foram a diversos territórios da América Latina», 400 dos quais permanecem ainda no continente.

O cardeal Re também assinala um novo fenômeno, «o intercâmbio missionário», já que «a Espanha não só é um berço de vocações missionárias, mas que nos últimos anos começou a ser também destino de sacerdotes que decidem deixar sua pátria para exercer seu ministério na Espanha e colaborar com a cada vez mais complexa e ampla pastoral dos imigrantes».

Por outro lado, e como recorda o sacerdote Anastasio Gil, secretário da Comissão Especial de Missões, «esta Jornada tem como finalidade ajudar as comunidades cristãs da Espanha a seguir cooperando com a atividade evangelizadora da Igreja no continente americano».

«A Espanha tem um compromisso moral com aquelas Igrejas em formação. De fato 70% dos missionários espanhóis se encontram trabalhando na pastoral missionária e evangelizadora da América Latina», acrescenta o sacerdote.