Igreja no Equador celebra semana dos migrantes

Quase 3 milhões de equatorianos moram fora do país

| 754 visitas

QUITO, terça-feira, 8 de setembro de 2009 (ZENIT.org).- De 13 a 20 de setembro, a Igreja no Equador celebrará a Semana da Mobilidade Humana, na qual oferecerá a oportunidade de refletir sobre a situação de milhares de pessoas que diariamente chegam ao país e de outras milhares que saem dele, todas motivadas pela busca de um futuro melhor.

Entre 1999 e 2006, o Equador experimentou o movimento migratório mais significativo, a saída de pelo menos 176 mil equatorianos rumo à Espanha e à Itália. Esta situação foi precedida por uma série de fatos políticos, econômicos e fenômenos naturais. Atualmente, calcula-se que quase 3milhões de equatorianos moram fora do país.

Ao mesmo tempo, ingressaram no país grupos de pessoas de nacionalidade colombiana e peruana. Algumas aproximações estimam que no Equador moram cerca de 450 mil colombianos com necessidade de proteção internacional que, devido ao conflito armado, tiveram de sair do seu lugar de origem. Da mesma forma, segundo saldos migratórios, fala-se da presença de cerca de 300 mil peruanos no país.

Os números falam por si mesmos e dão conta do grande movimento de pessoas no Equador nos últimos tempos. Por isso, o país é reconhecido como lugar de saída, trânsito e destino de pessoas em situação de mobilidade.

Motivada por esta realidade, a Pastoral de Mobilidade Humana da Conferência Episcopal Equatoriana promove, há mais de 15 anos, a celebração da Semana do Migrante e do Refugiado que, a partir deste ano, chamar-se-á Semana da Mobilidade Humana, por ser um termo muito mais amplo, que permite a atenção aos diferentes tipos de movimentos de pessoas.

Durante esta semana, em diferentes províncias do Equador, haverá uma série de atividades religiosas, artísticas, culturais, gastronômicas, esportivas, desenvolvidas pelas equipes locais, a fim de sensibilizar a população sobre esta realidade presente no país.