Igreja promove pesquisa científica, assegura Papa

Recebe os alunos do curso de verão do Observatório Astronômico Vaticano

| 1054 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 11 de junho de 2007 (ZENIT.org).- A Igreja promove a pesquisa científica, assegurou Bento XVI nesta segunda-feira, ao receber em audiência os participantes do curso de verão do Observatório Astronômico Vaticano.



«Desde sua instituição em 1891, o Observatório Vaticano procurou demonstrar o desejo da Igreja de animar e promover o estudo científico, baseando-se em sua convicção de que 'a fé e a razão são como as duas asas com as quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade'», explicou o Santo Padre citando o início da encíclica «Fides et Ratio», de João Paulo II.

«Os padres e irmãos jesuítas que constituem o Observatório não só estão comprometidos na pesquisa astronômica -- sublinhou --, mas também em oferecer oportunidades educativas às novas gerações de astrônomos; e a Escola de Verão do Observatório Astronômico Vaticano é um sinal concreto».

O curso, dedicado ao estudo dos planetas extra-solares, reúne durante um mês 26 jovens cientistas de 22 países, 14 deles em vias de desenvolvimento.

«A grande variedade de vossas origens e tradições culturais pode ser uma fonte de grande enriquecimento para todos», assegurou o Santo Padre.

Bento XVI os animou «a aproveitar ao máximo esta experiência» e lhes desejou «o melhor, para que vossa pequena comunidade internacional chegue a ser um sinal promissor de uma maior colaboração científica em benefício de toda a família humana».

Antes de despedir-se, o bispo de Roma lhes deixou seu auspício: que «nestes dias, encontreis consolo espiritual no estudo das estrelas, que 'brilham alegres para seu Criador', como diz o profeta Baruc (3, 34).

As origens do Observatório Astronômico Vaticano se remontam aos tempos do Papa Gregório XIII, que criou uma comissão científica encarregada de estudar os elementos necessários para a realização da reforma do calendário litúrgico, que acontece em 1582.

Depois de um longo parêntese de inatividade, Leão XIII fundou o novo Observatório Astronômico Vaticano com o motu proprio «Ut mysticam» de 1891.

Apesar de que a sede central do Observatório vaticano se encontre em Castel Gandolfo, em 1981, quando o céu de Roma se tornou muito luminoso para a observação, fundou-se um segundo centro de pesquisa, «The Vatican Observatory Research Group» (VORG) em Tucson, Arizona (EUA), uma das instituições mais avançadas e modernas de observação astronômica.

Em 1993, em colaboração com o Steward Observatory, o Observatório Vaticano completou a construção do Vatican Advanced Technology Telescope (VATT) no Monte Graham, Arizona, considerado um dos melhores lugares astronômicos na América do Norte continental.