Igrejas rezam juntas em Jerusalém pela reconciliação e paz

Oração em aramaico no primeiro de vários encontros mensais

| 1834 visitas

JERUSALÉM, quarta-feira, 3 de junho de 2009 (ZENIT.org).- A organização de direito pontifício para o diálogo entre a Igreja do Oriente e a do Ocidente “Catholica Unio” impulsionou alguns encontros de oração extraordinária de todas as Igrejas para a reconciliação e a paz.

Os encontros desta iniciativa, chamada “Começar por Jerusalém”, serão realizados a cada mês em uma igreja da Cidade Santa. 

A antiga igreja sírio-ortodoxa de São Marcos, no coração da parte antiga de Jerusalém, acolheu no sábado passado, vigília de Pentecostes, o primeiro dos encontros, segundo informava nesta segunda-feira a Rádio Vaticano. 

A oração se desenvolveu em língua aramaica, o antiquíssimo dialeto que Jesus falava, conservado apenas por uma pequena minoria cristã, e incluiu orações em árabe e em inglês.

Representantes das diversas confissões cristãs e fiéis locais, guiados pelo vigário patriarcal sírio-ortodoxo para Jerusalém e Jordânia, o arcebispo Mar Swerios Malki Murad, oraram juntos durante uma hora pedindo a paz e a comunhão para Jerusalém e para todo o mundo. 

O encontro de oração foi transmitido, com tradução, pelas emissoras de televisão católica TelepaceTelechiaraCanção Nova e a árabe Teleumiere

A transmissão pretende facilitar a comunhão de oração com a Igreja da Terra Santa ao maior número de cristãos do mundo. 

A igreja de São Marcos de Jerusalém foi a casa do discípulo Marcos e, depois, o lugar da efusão do Espírito Santo, segundo a tradição dos sírio-ortodoxos. 

Também é um lugar significativo para esta iniciativa de unidade e reconciliação pelo particular vínculo de comunhão que existe entre a Igreja Católica e esta antiga comunidade oriental. 

Por outro lado, de 4 a 10 de junho será realizada a “Semana mundial pela paz na Palestina e Israel”, promovida pelo Conselho Ecumênico das Igrejas. 

Cem países participam da iniciativa, com orações, campanhas informativas e ações de sensibilização. 

Na Holanda, serão realizados seminários, debates e conferências sobre a história do conflito visto a ótica de Israel e da Palestina. Também um concerto de uma orquestra de músicos palestinos e holandeses, seguido de um documentário do ponto de vista de Israel. 

As Igrejas da França decidiram chamar a atenção dos candidatos às eleições europeias sobre o problema do Oriente Médio. 

Os parlamentares australianos receberam das Igrejas uma reportagem sobre a situação humanitária em Gaza. 

Em uma paróquia escocesa de Edimburgo será realizado um encontro entre parlamentares, fiéis e representantes palestinos para recordar juntos o drama das duas populações. 

No domingo, 7 de junho, em todas as Igrejas do mundo será lida em voz alta a oração, escrita para a ocasião, dos responsáveis das Igrejas de Jerusalém. 

Nela se pede a Deus que envie “dirigentes políticos dispostos a dedicar e a consagrar sua vida ao restabelecimento de uma paz justa entre suas populações”. 

A busca da paz entre as populações de Israel e Palestina é um dos compromissos do Conselho Ecumênico das Igrejas desde 1948.