Inaugurado centro de formação de missões da África no México

| 829 visitas

Por Jaime Septién



GUADALAJARA, terça-feira, 27 de novembro de 2007 (ZENIT.org-El Observador).- Os missionários da África, mais conhecidos como «Padres Brancos» inauguraram nesta cidade sua nova casa de formação para os estudantes de Filosofia da Ordem, fundada em 1867 pelo cardeal francês – amigo pessoal do Papa Pio IX – Chales Lavigerie.

A Casa dos Mártires de Uganda de Guadalajara vem se a unir à Casa de Nossa Senhora da África, em Querétaro, e à Comunidade das Irmãs Missionárias de Nossa Senhora da África na cidade de Morelia, completando a oferta dos «Padres Brancos» e das «Irmãs Brancas» no México, país sementeiro de missões no mundo católico.

Os Missionários da África se encontram, na atualidade, trabalhando em 24 países do Continente Negro, dando a conhecer o nome de Jesus, compartilhando as esperanças do povo africano e vivendo de maneira comunitária com as diferentes culturas que formam o mosaico africano, um dos continentes onde cresce mais rápido o número de vocações sacerdotais e religiosas na última década.

Um dos pontos essenciais da atualidade dos Missionários da África, segundo o documento enviado à ZENIT - El Observador pela direção geral da Ordem no México, é o contato e a evangelização do mundo muçulmano em língua árabe da África do Norte. Desde o início das missões do cardeal Lavigerie, a Ordem se dedicou a um trabalho que hoje é de vital importância nessa porção do mundo.

No que diz respeito ao ramo feminino, atualmente existem 1050 «Irmãs Brancas» de 29 nacionalidades diferentes, trabalhando em 16 países da África.