Índia: cristãos obrigados a converter-se e atacar igrejas

Denuncia o porta-voz dos bispos do país

| 1481 visitas

NOVA DÉLI, sexta-feira, 5 de setembro de 2008 (ZENIT.org).– Neste momento, na Índia, os cristãos são obrigados a converter-se ao hinduismo e a atacar suas igrejas, denunciou o Pe. Babu Joseph, porta-voz da Conferência Episcopal da Índia (CBCI).

O sacerdote disse que o episcopado «ficou impressionado ao saber que os cristãos de Orissa, que já foram vítimas da violência, são agora obrigados a tornar-se hindus e a atacar suas igrejas, nas quais louvaram ao Senhor por muito tempo. Isso é totalmente inumano e constitui uma grave violação dos direitos humanos».

A situação na Índia continua tensa e prosseguem os ataques e os saques contra as instituições cristãs. Na segunda-feira, 1º de setembro, foram destruídas 10 salas de oração na aldeia de Kundra, no distrito de Jayapur. Em Tikabali Block, foram atacadas 5 aldeias. Uma igreja, um convento e duas residências também foram destruídos em Mondasore.

«Estamos extremamente preocupados porque notamos que, apesar das seguranças dadas por Shri Naveen Patnaik, ministro responsável de Orissa, ao primeiro-ministro, segundo as quais a violência em Kandhamal estaria sob controle, não houve grandes melhoras nas áreas de Kandhamal atingidas pelos distúrbios», afirma o porta-voz.

«Ainda que as forças de segurança tenham sido deslocadas em Kandhamal, os fundamentalistas continuam atacando livremente os cristãos e a suas instituições.»

Por este motivo, dirige «um forte apelo ao ministro responsável de Orissa para que atue com firmeza contra os autores das agressões e proteja os cristãos, suas casas e suas instituições, que são constantemente atacados pelos grupos fundamentalistas».

«Peçamos também que a administração estatal vele pela questão das conversões forçadas, porque são uma grave violação do direito constitucional a viver no país sem medo», conclui o Pe. Babu Joseph.