Índia: epicentro da perseguição anticristã tem novo bispo

Novo prelado em Orissa é tio de uma freira que foi estuprada por extremistas

| 1097 visitas

BHUBANESWAR, terça-feira, 15 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - Na última sexta-feira, 11 de fevereiro, o Vaticano divulgou a nomeação, por parte do Papa Bento XVI, do bispo John Barwa, de 55 anos, como novo arcebispo de Cuttack-Bhubaneshwar, após aceitar a renúncia de Dom Raphael Cheenath, por motivos de idade.

Esta é uma nomeação muito importante, pois a arquidiocese tem estado no epicentro dos ataques aos cristãos por extremistas hindus nos últimos anos, especialmente entre julho e agosto de 2008 (ver http://www.zenit.org/article-19489?l=portuguese). O então arcebispo, Dom Raphael Cheenath, recebeu graves ameaças de morte.

Mas principalmente porque o novo pastor de Cuttack-Bhubaneshwar é o tio da Irmã Meena Barwa, uma religiosa que trabalhava no Centro Social Divyajyoti da arquidiocese, e que foi brutalmente estuprada por vários extremistas que assaltaram e queimaram a instituição (ver http://www.zenit.org/article-19303?l=portuguese).

O caso da Irmã Meena, levado a tribunal, tornou-se um símbolo da exigência de justiça às autoridades diante da violência anticristã.

O próprio Dom Barwa, em uma entrevista realizada em 28 de julho de 2010 por Asianews, agência católica que informou com precisão sobre tudo o que aconteceu em Orissa, disse que o caso da sua sobrinha "é o símbolo da nossa luta, testemunha da Luz e da Verdade".

O prelado reconheceu, naquele então, que o testemunho de sua sobrinha, que não sente rancor contra seus agressores, mas apenas procura a justiça para os cristãos perseguidos, lhe dá "coragem para trabalhar e servir a Igreja", apesar da dor.

Em declarações exclusivas, ontem, a AsiaNews, após a divulgação de sua eleição, Dom Barwa afirmou que a Irmã Meena foi uma das primeiras pessoas a felicitá-lo, dizendo: "Todos os meus sofrimentos, minha dor e minha humilhação eu ofereço pelo senhor, pela sua missão como arcebispo".

O novo arcebispo de Cuttack-Bhubaneshwar assume o lugar de Dom Raphael Cheenath, outro pastor que se destacou, nos últimos anos, por sua defesa incansável dos cristãos.

"Indigno como sou, é Ele [Cristo] quem me mostrou seu grande amor no caminho da minha existência - confessou Dom Barwa a AsiaNews -, desde a minha humilde origem tribal até o chamado para servir como sacerdote, como provincial, como bispo e agora como arcebispo."

O arcebispo escolheu como lema episcopal "Venha a nós o vosso reino": "O reino de Deus é paz, justiça e amor, em oposição ao ódio, à violência e à injustiça; é o amor de Cristo que nos impele a trabalhar pela justiça e pela verdade", disse Dom Barwa.

A nomeação surge apenas dias depois de a Comissão de Inquérito sobre a violência contra os cristãos, liderada pelo ex-juiz B. K. Somasekhar, publicar um relatório que iliba os grupos radicais da responsabilidade pelos atos de violência anticristã no estado de Karnataka (ver http://www.zenit.org/article-27205?l=portuguese), insinuando, inclusive, que os cristãos realizam conversões forçadas.

Além disso, nos últimos meses, voltou a aumentar a pressão sobre os cristãos. Em setembro passado, Dom Cheenath denunciou intimidação e conversões forçadas ao hinduísmo, no distrito de Kandhamal (ver http://www.zenit.org/article-26027?l=portuguese).

Em dezembro, os cristãos de Orissa alertaram contra as ameaças de grupos radicais de promover outro massacre no período do Natal (ver http://www.zenit.org/article-26859?l=portuguese).

(Inma Álvarez)