Índia: sacerdote é ameaçado de morte

Região central está nas mãos dos extremistas hindus

| 1223 visitas

INDORE, terça-feira, 13 de julho de 2010 (ZENIT.org) - O Pe. Anand Muttungal, sacerdote da diocese de Bhopal e porta-voz da Igreja Católica no Estado de Madhya Pradesh, está sendo ameaçado de morte por extremistas hindus, segundo reporta a agência internacional Fides.

"A situação é preocupante: a parte central da Índia, de leste a oeste, está nas mãos de grupos extremistas hindus, que promovem todo tipo de violência, com total impunidade", disse à Fides Dom Chacko Thottumarickal, bispo de Indore, alertando sobre a proliferação dos grupos fundamentalistas, que defendem uma ideologia purista e rejeitam o caráter pluralista da nação indiana.

"Na Índia central, em estados como Orissa, Madhya Pradesh e Chhattisgarh, as minorias cristãs são alvo constante da ação destes grupos extremistas, que contam com o apoio, em nível político, dos nacionalistas do partido Baratiya Janata, que os protegem e com frequência garantem sua impunidade", assinalou o prelado.

O Pe. Anand, após receber diversos telefonemas anônimos ameaçando-o de morte, decidiu procurar a polícia de Bhopal, que lhe garantiu proteção.

As ameaças advertiam o sacerdote a abandonar suas atividades sociais - o sacerdote atua também no âmbito do diálogo ecumênico e inter-religioso.

Neste contexto delicado, "primeiramente confiamos em Deus e em sua misericórdia", disse o bispo. "Buscamos promover boas relações com os líderes religiosos hindus, unindo todas as forças positivas."

Dom Thottumarickal lembrou ainda outra questão sensível: "Em Madhya Pradesh, continua em vigor desde 1967 uma lei anticonversão denominada ‘Freedom of Religion Bill', que proíbe conversões que envolvam fraudes ou dinheiro. Também nós acreditamos na conversão que parte do coração, operada pelo Espírito Santo, caso contrário não é uma autêntica conversão. Mas a lei é utilizada para limitar a liberdade de religião e de mudar de religião".

Neste contexto, concluiu, "a evangelização é de fato um grande desafio, por tais obstáculos e dificuldades. De nossa parte, porém, devemos incentivar o espírito missionário dos fiéis, através de uma formação permanente".