Indulgências especiais na XXI Jornada Mundial do doente

O Santo Padre concede o dom das indulgências para aqueles fieis que, arrependidos e estimulados pela caridade, coloquem-se a serviço dos que sofrem e, se doentes, suportem as dores e as adversidades da vida

Roma, (Zenit.org) | 885 visitas

Publicamos a seguir a tradução feita pela equipe de ZENIT do Decreto da Penitenciaria Apostólica Vaticana com o qual se concedem indulgências especiais por ocasião da XXI Jornada Mundial do doente, que será celebrada do 7 ao 11 de fevereiro.

***

A Redenção cumpriu-se por meio da Santa Cruz de Cristo, ou seja, através da sua paixão. Todos os sofrimentos humanos, na verdade, podem participar do sofrimento redentor do Senhor; de fato, o Apóstolo São Paulo diz: “Completo o que falta às tribulações de Cristo em minha carne pelo seu Corpo, que é a Igreja” (Cl 1, 24).

Nesse ano da Fé, dedicato especialmente à profissão da verdadeira fé e à sua reta interpretação, vale a pena lembrar o luminoso ensinamento do Concílio Vaticano II sobre o sentido cristão do sofrimento e da sua partilha entre os irmãos: “Visto que as obras de caridade e misericórdia dão um esplêndido testemunho de vida cristã, deve também a formação apostólica levar ao seu exercício, para que os fiéis aprendam, logo desde a infância, a compadecer-se dos pobres e necessitados e a ajudá-los com generosidade”. (Decreto Apostolicam actuositatem, 31 c).

Portanto, impulsionado pelo desejo de que a celebração anual do Dia Mundial do Doente, este ano especialmente solene, possa revelar-se uma sempre mais eficaz catequese sobre o sentido salvífico do sofrimento e sensibilize mais ainda todos aqueles que, por diversas razões, estão comprometidos com o serviço de quem sofre na alma e no corpo, o Santo Padre escolheu como tema da XXI Jornada Mundial do Doente, que será celebrada do 7 ao 11 do próximo mês de fevereiro, o Bom Samaritano: “Vai, e também tu, faze o mesmo” (Lc 10, 37), que ensina a “fazer bem com o sofrimento e, ao mesmo tempo, a fazer bem a quem sofre" (Carta Apostólica Salvifici doloris, 30).

No final da Jornada, na memória litúrgica de Nossa Senhora de Lourdes, Sua Excelência Mons. Zygmunt Zimowski, Presidente do Pontifício Conselho para a pastoral no campo da saúde, presidirá no Santuário Mariano de Altötting, da diocese de Passau, uma solene Missa com a administração do sacramento da Unção dos enfermos.

Com a finalidade de que os fiéis se preparem espiritualmente para participar da melhor forma possível desse evento, Sua Santidade Bento XVI, na Audiência concedida, no dia 18 do presente mês de janeiro, aos subscritos Cardeal Penitenciário-Mor e Regente desta Penitenciaria Apostólica, concedeu benignamente o dom das indulgências de acordo com o seguinte dispositivo, para que os fieis, realmente arrependidos e estimulados pela caridade, seguindo o exemplo do Bom Samaritano, com espírito de fé e com ânimo misericordioso, coloquem-se ao serviço dos irmãos que sofrem e se, por sua vez enfermos, suportem as dores e as adversidades da vida, elevando com humilde confiança a alma a Deus e oferecendo claro testemunho de fé por meio do caminho do Evangelho do sofrimento:

A. Uma indulgência plenária, que os fiéis, com espírito verdadeiramente arrependido e contrito, poderão obter um vez por dia nas condições habituais (Confissão sacramental, comunhão eucarística e oração segundo as intenções do Santo Padre) e também aplicar em sufrágio das almas dos fieis defuntos, toda vez que, do próximo 7 ao 11 de fevereiro, no Santuário Mariano de Altötting ou em qualquer outro lugar estabelecido pela Autoridade eclesiástica, participem devotamente de uma cerimônia celebrada para suplicar a Deus os propósitos da Jornada Mundial do Doente e recitem o Pai Nosso, o Credo e uma piedosa invocação à Beata Virgem Maria.

Os fiéis que nos hospitais públicos ou em qualquer casa particular  assistam caridosamente, como o Bom Samaritano, os doentes e, por causa do seu serviço, não possam participar das funções indicada acima, obterão o mesmo dom da indulgência plenária, se nesses dias prestarem generosamente ao menos por algumas horas a sua caridosa assistência como se o fizessem ao mesmo Cristo Senhor (cf. Mt 25, 40) e recitem o Pai Nosso, o Credo e uma piedosa invocação à Santíssima Virgem Maria, tendo o espírito desapego de todo pecado e o propósito de cumprir, logo que possível, as condições necessárias para obter a Indulgência plenária.

Por fim, os fiéis que por doença, por idade avançada ou por razões semelhantes, estejam impedidos de participar da cerimônia acima, obterão a Indulgência plenária se, com a alma completamente desligada de qualquer pecado e propondo-se cumprir logo que possível as normais condições, participem espiritualmente das sagradas funções nos dias determinados, especialmente quando as Celebrações Litúrgicas e a Mensagem do Sumo Pontífice sejam transmitidas pela televisão e pelo rádio, rezem devotamente por todos os doentes e ofereçam a Deus, por meio da Virgem Maria, Salus infirmorum, os seus sofrimentos físicos e espirituais.

B. A indulgência parcial a todos os fiéis toda vez que dirigirem a Deus misericordioso, com um coração contrito, nos dias marcados acima, fervorosas orações pelos doentes no espírito do presente Ano da Fé.

Este Decreto entra em vigor para esta ocasião. Não obstante qualquer disposição contrária.

Dado em Roma, na sede da Penitenciaria Apostólica, no dia 25 de janeiro de 2013, na Solenidade da Conversão de São Paulo, que fecha a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos.

Manuel Card. Monteiro de Castro

Penitenciário-Mor

Mons. Krzysztof Nykiel

Regente