Irã: 10 anos de prisão por distribuir cópias do Evangelho

Mohammad-Hadi Bordbar, covertido do islamismo ao cristianismo, distribuiu 12 mil evangelhos de bolso em seu país. A polícia iraniana o prendeu por "crimes contra a segurança do Estado"

Roma, (Zenit.org) Redacao | 648 visitas

Dez anos de prisão é a pena infligida ao iraniano, Mohammad-Hadi Bordbar, conhecido como"Mostafa", da cidade de Rasht,convertidodo islamismo ao cristianismo, por ter distribuído cópias do Evangelho em seu país. A acusação? "Crime contra a segurança do Estado".

De acordo com notícia relatada pela agência Fides e pela Rádio Vaticana, emerge dos autos que o homem confessou "ter deixado o Islã para seguir o cristianismo" e "considerando a evangelização como seu dever, distribuiu 12 mil evangelhos de bolso ". Uma culpa verdadeira,de fato, um reato no Irã.

Não só isso: Mostafa, depois de ter recebido o batismo, começou uma "igreja doméstica",umaassembleiade culto doméstico onde realizava grupos de oração, considerado “ilegal”pelo estado iraniano. O homem foi preso em 27 dezembro de 2012, em Teerã, depois de uma inspeção em sua casa. Junto com ele, a polícia prendeu e interrogou durante horas cerca de 50 cristãos iranianos presentes no encontro.

Além disso, foram encontrados materiais "incriminatórios": ou seja, filmes, livros, DVDs, discos de natureza cristã e mais de 6.000 cópias do Evangelho. Foi a segunda prisão de Mostafa, depois de ter sido preso "por causa” de sua conversão à religião cristã. Considerado culpado de apostasia, foi posteriormente libertado sob fiança.

Mohammad-Hadi Bordbar, infelizmente, não é o único caso de perseguição religiosa no Irã. A Agência Iraniana Cristã "Mohabat News" informoutambémà Agência Fidesoepisódio de Ebrahim Firouzi, um jovem cristão iraniano, condenado a um ano de prisão e dois de exílio por "atividades de evangelização e distribuição de Bíblias." De acordo com o tribunal da cidade de Robat-Karim, no sul de Teerã, o gesto do jovem estava "em oposição ao regime da República Islâmica do Irã". Como Mostafa, também Ebrahim Firouzi foi "culpado por atos criminosos" por manter "grupos de oração em casa e difundir entre os jovens dúvidas sobre os princípios islâmicos". O jovem foi detido em março de 2013.

Como recordam as ONGs "Barnabas team" e "Christian Solidarity Worldwide", empenhadas na defesa dos cristãos no mundo, nos últimos anos o interesse dos jovens iranianos pelo cristianismo fez com que a conversão se tornasse um problema preocupante para as autoridades iranianas.