Iraque: Igreja pede que os cristãos participem da vida pública do país

É uma responsabilidade nacional e moral, afirma o patriarcado.

Roma, (Zenit.org) Redacao | 270 visitas

Pensando nas próximas eleições legislativas do Iraque, previstas para 30 de abril de 2014, o patriarcado da Babilônia dos Caldeus lançou um apelo a todos os fiéis para participarem da vida pública do país.

No comunicado, enviado à agência Fides, o patriarcado afirma que "a participação nas eleições para o parlamento é uma responsabilidade nacional e moral". 

As autoridades eclesiásticas convidaram os católicos a solicitar seus títulos eleitorais e a se registrarem com antecedência para garantir o acesso aos locais de voto. É importante que os cristãos da diáspora também se inscrevam nas embaixadas iraquianas para preservar o seu direito ao voto, orienta o documento.

O patriarcado pediu também que os votantes "elejam representantes competentes e valentes, que façam prevalecer o interesse do país e do povo acima dos interesses pessoais ou de grupos, e acompanhem de perto a situação".

A Igreja caldeia declarou, ainda, o desejo de que os cristãos apoiem uma lista única de candidatos em cuja elaboração eles participem ativamente.

Para a minoria cristã no Iraque, é de vital importância conseguir uma adequada representação política para garantir o respeito dos seus direitos numa região fortemente marcada pelas violações à liberdade religiosa. No censo de 1987, os cristãos no país eram 1.264.000. Hoje são menos da metade.

O patriarca caldeu Luis Rafael I Sako se reuniu nos últimos meses com todos os protagonistas da cena política iraquiana e renovou o seu apelo a todos eles para trabalharem em prol da paz e da harmonia social, que são “bens prioritários a ser protegidos apesar de quaisquer diferenças políticas”.

(RED/IV)