Irlanda, Escócia, Inglaterra e Gales: «deficiência» como tema da Jornada pela Vida

Na edição de 2007, promovida pelos bispos

| 629 visitas

LONDRES, terça-feira, 12 de junho de 2007 (ZENIT.org).- Na Irlanda, Escócia, Inglaterra e Gales, as respectivas Conferências Episcopais católicas trabalham estreitamente na celebraç;o da Jornada pela Vida 2007, cujo tema é a «deficiência».

A iniciativa de tal Jornada se deve a João Paulo II, para alentar a Igreja Católica em todo o mundo a celebrar a santidade da vida.

«Bendito é o fruto do vosso ventre», será o centro da reflexão da Jornada anual, dedicada a chamar a atenção sobre o valor da vida humana em toda etapa e em toda condição, informam conjuntamente os citados episcopados no site www.dayforlife.org.

A Jornada deste ano tem como contexto, entre outros aniversários, os 40 anos da Lei do aborto na Inglaterra, Escócia e Gales.

A Conferência Episcopal da Inglaterra e Gales celebrará a Jornada pela Vida no próximo dia 1º de julho; a da Irlanda, em 7 de outubro; a da Escócia foi em 31 de maio.

Ante a proximidade da Jornada na Inglaterra e Gales, o presidente de seu episcopado, o cardeal Cormac Murphy-O’Connor, recorda: «A Igreja Católica crê que toda vida humana foi criada por Deus à sua própria imagem e semelhança».

«Isso significa que toda vida é sagrada, com valor e sentido em toda etapa e em toda condição, desde o momento da concepção até a morte natural. É por esta razão que a Igreja se opõe firmemente ao aborto, porque se trata da supressão de uma vida humana inocente», explica o purpurado, segundo cita «Catholic Communications Network», o escritório de comunicações do episcopado da Inglaterra e Gales.

A partir disso, ele convida todos os católicos, mas especialmente aqueles que têm alguma responsabilidade pública, a formar-se no ensinamento da Igreja e a buscar assessoramento pastoral para que possam tomar decisões informadas com integridade.

Foi em sua encíclica «Evangelium vitae» (sobre o valor e o caráter inviolável da vida humana) que o Papa Karol Wojtyla propôs a celebração anual, nas diferentes nações, de uma Jornada pela Vida.

Assinalando a necessidade de que a convocatória seja preparada e celebrada «com a participação ativa de todos os membros da Igreja local», escreveu: «Seu fim fundamental é suscitar nas consciências, nas famílias, na Igreja e na sociedade civil o reconhecimento do sentido e do valor da vida humana em todos seus momentos e condições».

«E isso centralizando particularmente a atenção na gravidade do aborto e da eutanásia -- afirmou --, sem esquecer tampouco os demais momentos e aspectos da vida, que merecem ser objeto de atenta consideração, segundo sugira a evolução da situação histórica».