Irmão de Bento XVI: «a melhor ajuda ao Papa é orar por ele»

Entrevista com Monsenhor Georg Ratzinger

| 1170 visitas

VIENA, quinta-feira, 22 de novembro de 2007 (ZENIT.org).- A forma mais útil de ajudar Bento XVI é orar por ele, explica seu irmão, Mons. Georg Ratzinger.



Em uma entrevista concedida à Agência Zenit, Mons. Ratzinger explica que certamente seu irmão, enquanto Papa, tem sobre seus ombros um grave peso, mas que apesar disso tem a certeza de que não está só e de sentir-se «sustentado por toda a Igreja, por todos seus irmãos, por todos os fiéis».

«Ele sabe que muitíssimas pessoas oram por ele e sabe que tem um anjo da guarda e também a proteção de Deus, que o escolheu para esta tarefa», acrescentou.

Com efeito, confessa, a maior ajuda que se pode dar ao bispo de Roma consiste em rezar por ele «e sobretudo em afirmar e representar no próprio ambiente os estímulos proporcionados por ele, e tudo o que é proclamado por ele».

Mons. Georg disse recordar com alegria os dias transcorridos com seu irmão, por ocasião de sua viagem apostólica à Baviera, de 9 a 14 de setembro de 2006: «Sobretudo, devo dizer que fui tratado em todos os lugares com grande atenção e de modo serviçal. Eu me sentia sustentado por pessoas sempre dispostas a ajudar, e encontrei um grande clima de festa. O mau tempo não me atrapalhou em nada».

Naquela ocasião, o Papa reservou uma jornada especial a seus afetos mais pessoais, com a visita à casa de Mons. Georg em Ratisbona, à casa de Pentling – onde viveu quando foi professor da Universidade de Ratisbona – e o cemitério de Ziegetzdorf, onde repousam os restos mortais de seus pais (Maria e Joseph) e de sua irmã, Maria.

Em sua detalhada descrição dos anos da infância e da juventude, passados na casa paterna, Mons. Georg Ratzinger, nascido em 1924 em Pleiskirchen, perto do povoado de Altotting, enfatizou a profunda devoção que plasmou continuamente a vida de sua família.

A verdade de fundo, que sempre guiou os três irmãos, acrescentou, é a que se encerra no catecismo: «Por que razão estamos na Terra? Para que possamos dar glória a Deus e ir ao Céu», disse.

Joseph Ratzinger e seu irmão Georg foram ordenados no mesmo dia, em 29 de julho de 1951. Mas seus caminhos se separaram e Mons. Georg prosseguiu sua paixão pela música, convertendo-se primeiro em maestro da Capela em Traunstein e depois, em 1964, em diretor do coro de vozes da catedral de Ratisbona.

Quanto à sua vocação ao sacerdócio, Mons. Georg Ratzinger reconhece que tudo aconteceu «de modo espontâneo»: «o terreno estava preparado por uma boa vida em família, onde a fé era algo vivo».