Israel condena atos de vandalismo contra um mosteiro

O primeiro-ministro Netanyahu se declarou revoltado por estes ataques

| 956 visitas

Por Anita Bourdin

ROMA, segunda-feira, 17 de dezembro de 2012 (ZENIT.org) – O primeiro-ministro de Israel e a embaixada de Israel na Santa Sé condenaram os atos de vandalismo contra um cemitério armênio e um mosteiro ortodoxo de Jerusalém.

"A embaixada de Israel na Santa Sé manifesta a sua mais firme condenação pelos atos de vandalismo que violaram o mosteiro da Cruz, no Vale da Cruz, no dia 11 de dezembro em Jerusalém", diz o comunicado.

E acrescenta: "lamentamos este tipo de comportamento que está em oposição total aos valores e tradições de Israel”.

A embaixada difunde a declaração do Departamento do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que se declara "enojado" diante dos “atos violentos” que aconteceram na noite da terça-feira, 11, para a quarta-feira, 12, em Jerusalém, e Ramallah.

"Os valores judaicos, no qual fomos educados e que ensinamos aos nossos filhos, rejeitam totalmente este tipo de comportamento”, disse o primeiro-ministro.

Afirma que “a liberdade de culto para todas as religiões será protegida em Israel”. Assegura também que as pessoas "desprezíveis" que cometeram “este crime” serão levadas ao tribunal.

O Patriarcado Latino de Jerusalém informa sobre as provas da polícia que mostram que “pinturas agressivas contra os cristãos se encontraram nas portas de um cemitério e nas paredes de um mosteiro em Jerusalém, na manhã da quarta-feira,12 de Setembro”, indicou.

Estas pinturas estavam em hebraico, nas portas de entrada do cemitério armênio, como sobre os muros de um mosteiro da Igreja Greco-ortodoxa, e os carros também apareceram com os pneus pintados, diz a mesma fonte.

(Trad.TS)