Itália: bispo suspende procissões após homenagem a mafioso

Imagem de Nossa Senhora tinha sido inclinada em gesto de reverência ao passar por casa de chefe da máfia

Roma, (Zenit.org) Redacao | 715 visitas

O bispo de Oppido-Palmi, dom Francesco Milito, suspendeu nesta quinta-feira todas as procissões da sua diocese por tempo indeterminado. A decisão foi informada pelo vigário da diocese, pe. Giuseppe Acquaro.

A medida foi tomada porque no último dia 2 de julho, no povado de Oppido Mamertina, sul da Itália, uma procissão foi desviada do seu percurso para passar pela casa de um chefe mafioso. Ali, os carregadores do andor com a imagem da Virgem Maria fizeram uma reverência ao “capo”.

O chefe da organização criminosa local, chamada N'drangheta, é Peppe Mazzagatti, de 82 anos. Ele foi condenado à prisão perpétua por diversos crimes, entre os quais homicídio, e cumpre a pena em casa devido à idade e às condições de saúde.

Em carta dirigida aos fiéis da diocese, com o título “Um ato de amor pela nossa Igreja entre passado e futuro”, dom Milito explica que, após alguns dias de reflexão, tomou a decisão de “suspender a partir de hoje todas as procissões programadas para os próximos meses até que, como fruto de uma consciência eclesial madura e sólida, sejam tomadas medidas fortes e definitivas”.

Trata-se, acrescentou o bispo, de um “gesto de cautela convicto e preciso, um convite à reflexão e ao silêncio, do qual, neste momento, temos necessidade. Ninguém está autorizado a nutrir desconfiança ou a julgar quem contribui com dedicação e retidão com as procissões”. No lugar destas, o bispo propõe que a comunidade se reúna em oração.

O presidente regional do episcopado italiano, Salvatore Lunari, lamentou o episódio da procissão desviada e o fato de que “os padres participantes não tenham tido a coragem não só de ir embora, mas de impedir essa procissão. Eles tinham que ter feito isso. Teríamos dado um exemplo e precisamos de exemplos desse tipo”.

A região italiana de Reggio Calabria abriu uma investigação sobre o fato. Já foram identificados os 25 carregadores do andor com a imagem e vários deles estão sendo interrogados, bem como os organizadores do evento.