Jacarta: 5.000 jovens recebem o cardeal Rylko para o encerramento do Ano da Fé

23 de novembro: dia de encontro e oração a convite da Conferência Episcopal da Indonésia, em evento local da juventude católica

Roma, (Zenit.org) | 526 visitas

Milhares de jovens se reúnem neste próximo dia 23 de novembro em Jacarta, capital da Indonésia, para um encontro de oração e convivência que encerra o Ano da Fé no país. É o OMK Gathering 2013: A Alegria da Juventude Católica da Indonésia.

A celebração da eucaristia será presidida pelo cardeal Stanislaw Rylko, do Pontifício Conselho para os Leigos. Graças à presença do cardeal, a iniciativa ganhou destaque e adesão. Até agora, segundo os dados da agência de notícias AsiaNews, cerca de 5 mil jovens católicos indonésios se inscreveram para participar deste grande encontro organizado pelos bispos como parte das iniciativas para o Ano da Fé proclamado pelo papa Bento XVI.

A Conferência dos Bispos Católicos da Indonésia fez um grande trabalho nas mídias sociais, usando o Facebook, o Twitter e o YouTube. Cada paróquia de Jakarta vai enviar uma delegação para o grande evento, que receberá também fiéis das dioceses vizinhas de Bogor e Bandung.

Merece destaque também a contribuição da Fundação João Paulo II e de dezenas de organizações católicas e movimentos estudantis, que animarão a tarde antes da missa solene celebrada pelo cardeal Rylko, juntamente com o arcebispo de Jacarta, dom Ignatius Suharyo, com os demais bispos presentes e com o núncio apostólico na Indonésia, dom Antonio Guido Filipazzi.

Este encontro de sexta-feira se revela um evento realmente extraordinário, considerando-se que a Indonésia é o país muçulmano mais populoso do mundo. Os católicos são uma pequena minoria, de cerca de 3% do total dos habitantes. Na arquidiocese de Jacarta, os fiéis atingem 3,6% da população local. A constituição da Indonésia consagra a liberdade de religião, mas a comunidade cristã ainda é vítima de episódios de violência e de abusos, especialmente nas áreas em que é mais arraigada a visão extremista do islã, como em Aceh.

No entanto, os católicos fazem parte ativamente da sociedade e contribuem para o desenvolvimento da nação, destacando-se nas ajudas durante as situações de emergência, como foi o caso das inundações devastadoras ocorridas em janeiro.