Jovens peregrinos têm suas razões

Um informe revela por que os jovens viajaram para Sydney

| 505 visitas

SYDNEY, terça-feira, 2 de setembro de 2008 (ZENIT.org).- Ainda que uma semana em Sydney poderia ser atrativa por muitas razões, quem viajou por ocasião da Jornada Mundial da Juventude buscava uma experiência espiritual ao encontrar-se com Bento XVI, revela um estudo.

Foi publicada por «Pilgrim’s Progress 2008» uma pesquisa da Universidade Católica Australiana feita pela organização da Jornada Mundial da Juventude 2008, que compilou as experiências dos peregrinos da jornada juvenil antes, durante e depois do evento.

Bento XVI presidiu o evento que, de 15 a 20 de julho, convocou a maior multidão internacional da história do país. Cerca de 400 mil pessoas assistiram à Missa de encerramento em Randwick Racecourse.

Relendo as 12.275 respostas dos peregrinos de 164 países que participaram de pesquisas e entrevistas durante e depois da semana do evento, os pesquisadores buscaram compreender a espiritualidade dos peregrinos.

Outra pesquisa, na Internet, de inscritos na JMJ está prevista para o final do ano.

Os resultados da pesquisa revelam que 85% dos que participam do evento em Sydney tinham ido pela primeira vez a um encontro desse tipo.

Um dos pesquisadores que realizou o estudo, Michael Mason, explica que o informe revela que o que os peregrinos mais buscavam na semana de atividades e peregrinação era «uma experiência espiritual e, neste contexto, ver e escutar o Santo Padre».

«Disseram que buscavam uma relação próxima com Deus, com Jesus; desejavam realmente viver o que acreditavam e experimentar um forte sentimento do que significa ser católico», acrescentou.

Mason informou que os peregrinos com mais de 20 anos mostraram diferenças significativas com relação aos peregrinos que ainda não chegaram a essa idade.

«O grupo mais velho estava muito centrado nos valores espirituais – disse. Os jovens fizeram sacrifícios para poder dedicar uma semana para ir à Jornada Mundial da Juventude 2008, de maneira que não estavam brincando. Sua espiritualidade era muito forte e assim foi sua atitude ante o evento; eles o viram como um tempo sagrado.»

«O grupo mais jovem se sentia atraído por todos os aspectos da Jornada Mundial da Juventude 2008 que naturalmente atraem os jovens; gostavam da aventura, da emoção de fazer parte de uma enorme multidão de jovens, viajar a uma cidade espetacular, fazer novos amigos, celebrar. Podia ser uma oportunidade religiosa, mas tinha uma grande quantidade de outros atrativos também.»

Mason considera que os fatores mais motivadores para viajar para Sydney foram: a companhia de outros amigos, o convite por parte de outras pessoas, como pais ou professores, e o contato pessoal com alguém que havia estado em uma jornada juvenil anterior.

Também confessa sua surpresa ao ver uma «presença espiritual tão forte entre adolescentes neste grupo».

Mason explicou que a pesquisa prévia dava a impressão de que este grupo não estava envolvido em sua Igreja local.

«Contudo – assegura –, esse parece ser o caso somente de cerca de 25% do grupo mais jovem.»

«Cerca da metade [dos adolescentes pesquisados] vão regularmente à Igreja, têm uma fé sólida e um firme sentimento de identidade católica.»