Judeus e católicos, preocupados pelos nacionalismos excludentes

O cardeal Kasper encabeça a delegação católica

| 888 visitas

Por Inma Álvarez

BUDAPESTE, segunda-feira, 10 de novembro de 2008 (ZENIT.org).- Qual é o papel da religião na sociedade atual? Sobre este tema reflete o XX Encontro da International Jewish-Catholic Liaison Committee (Ilc), durante os dias 9 a 12 de novembro, em Budapeste.

A delegação católica que participa do encontro está encabeçada pelo cardeal Walter Kasper, presidente da Comissão da Santa Sé para as Relações Religiosas com o Judaísmo, e dela fazem parte o cardeal Theodore McCarrick, arcebispo emérito de Washington, e o salesiano Norbert Hoffmann, secretário desta comissão. 

Pela parte judaica, participam os membros do Rabinato de Israel para as relações com a Igreja Católica. 

O encontro foi inaugurado pelo cardeal Kasper. A primeira sessão se dedicou mais concretamente às relações entre os cristãos e os judeus nos países do leste europeu. 

Segundo Hoffman, nestas questões tem grande importância a colaboração da Igreja Ortodoxa. «Haverá um observador do Patriarcado ecumênico neste encontro», explicou. Também se concederá grande importância ao papel dos jovens no diálogo inter-religioso. 

Trata-se, afirma, de refletir sobre como o judaísmo e o catolicismo podem incidir no tecido social em que vivem. 

Os participantes mostram sua preocupação pelo «atual contexto de renascimento dos nacionalismos, com freqüência portadores de xenofobia e anti-semitismo», especialmente na Europa do Leste. 

A respeito disso, o Pe. Hoffman declarou ontem à Rádio Vaticano que «os hebreus têm em nós, cristãos, um aliado para combater o anti-semitismo. Nossos irmãos mais velhos, os judeus, podem contar conosco, porque o anti-semitismo não é conciliável com a ética cristã». 

De fato, esta preocupação levou à escolha da data e do lugar do encontro: 9 de novembro, no 70º aniversário da «Noite dos cristais», que deu começo ao Holocausto; e em Budapeste, uma das cidades mais castigadas pela fúria anti-semita, que acabou com a vida da metade de sua população judaica. 

Neste sentido, o cardeal Peter Erdö, arcebispo de Esztergom-Budapeste, primaz da Hungria e presidente da Conferência Episcopal deste país, está levando a cabo, segundo revela L'Osservatore Romano na edição italiana de 9 de novembro, uma importante obra de salvaguarda da memória dos hebreus mortos durante a Shoá e daqueles que trabalharam para salvá-los. 

«Devemos recordar este triste aniversário para não esquecer, para que atos de violência racista ou de discriminação contra grupos religiosos ou étnicos não se repitam mais na história», declarou o purpurado à emissora vaticana no domingo. 

«Infelizmente, no mundo vemos agora atos parecidos contra os cristãos. Tentaremos também protestar junto aos responsáveis da Santa Sé para defender os direitos humanos dos cristãos no Iraque, Índia e outros países do Oriente Médio», acrescentou. 

International Jewish-Catholic Liaison Committee foi instituída em Roma em 1970 para promover a aproximação mútua entre ambas as religiões, com base na declaração conciliar Nostra Aetate. Desde então se realizaram encontros periódicos em diversas cidades do mundo. 

Os participantes do encontro atual foram recebidos em 30 de outubro passado pelo Papa Bento XVI, que reafirmava «o compromisso da Igreja de levar a cabo os princípios presentes na histórica Declaração Nostra Aetate, do Concílio Vaticano II», a qual «condenava firmemente toda forma de anti-semitismo e representava um marco na longa história das relações entre judeus e católicos».