«Lectio Divina», maneira de conhecer coração de Deus

Apresenta-se ao Sínodo uma forma de leitura orante da Palavra, aplicada no Chile

| 1899 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 15 de outubro de 2008 (ZENIT.org).- O Sínodo dos Bispos pediu que se ilustrasse à assembléia um dos diferentes métodos atuais de «Lectio divina», a leitura orante da Sagrada Escritura. Em resposta, nesta terça-feira, na congregação geral, Dom Santiago Jaime Silva Retamales, bispo auxiliar de Valparaíso (Chile), fez uma apresentação muito concreta que durou cerca de 20 minutos.

O prelado explicou como em sua diocese, há cinco anos, foram criados grupos de oração e meditação na Sagrada Escritura, renovando significativamente a vida das comunidades cristãs, em particular, sua comunhão.

A promoção da «Lectio divina» é a proposta concreta que os padres sinodais e ouvintes mais repetiram neste sínodo sobre «A Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja».

Dom Silva, nomeado por Bento XVI como vice-presidente da Comissão para a mensagem que o Sínodo emitirá, explicou, citando São Gregório Magno, que o objetivo desta prática é «conhecer o coração de Deus através das palavras de Deus».

O prelado ilustrou os passos que seguem em Valparaíso para realizar a «Lectio Divina» em comunidades.

O encontro começa preparando o ambiente onde acontece o encontro. Em particular, coloca-se a Bíblia aberta num ambão e se preparam também os participantes, não só com sua postura, mas também com um «coração limpo». É necessário também que cada um traga sua Bíblia ou o texto impresso.A seguir, acontece a invocação ao Espírito Santo para que, assim como Ele fez que a Palavra se convertesse em livro, o livro se torne Palavra.Depois se busca a passagem bíblica e se prepara com perguntas que, partindo da vida, ajudem a compreender o texto.O seguinte passo é a leitura ou a proclamação do texto bíblico. É muito importante que depois haja um momento de silêncio para que cada um o releia pessoalmente.

O seguinte passo sugere aos participantes que utilizem um lápis para marcar com o sinal de interrogação (?) as passagens que não entendem. E se lhes pede também que sublinhem a passagem que consideram central.

Assim, em grupo, descobre-se esta passagem medular ou se oferecem, em particular o guia do grupo, elementos para a compreensão.

Os participantes voltam a ler a passagem, e nesta ocasião devem marcar com o sinal de exclamação (!) a passagem ou passagens que interpelam suas intenções e ações.

Com o lápis devem marcar com um asterisco (*) a passagem ou passagens que os ajudam a orar.

Passa-se então à meditação, seguindo o sinal de exclamação. Como ajuda, sugere-se que se façam, a partir da passagem, perguntas que interpelam a vida.Depois acontece a oração, seguindo os asteriscos, para orar desde e com a Palavra de Deus e o vivido no encontro com a Palavra, ou seja, Cristo.Por último, deixa-se espaço à contemplação, ajudando-se do silêncio ou da música. O importante, disse o bispo, é «que Jesus me arrebate, que olhe pra mim e que eu olhe pra Ele, numa troca de olhares».

Passa-se assim à última fase, «o atuar», escrevendo uma palavra (por exemplo, «diálogo», «ajuda») que indica ao participante o caminho a seguir e compartilhar.

Estas práticas em comunidade constituem um plano de três anos, ilustrou Dom Silva. Não quer ser um curso de Bíblia, declarou; trata-se de um encontro com Jesus na Sagrada Escritura.

Em Valparaíso, assegurou, esta prática está produzindo «momentos de muita comunhão».

Joseph Rayappu, bispo de Mannar (Sri Lanka), dedicou sua intervenção desta quarta-feira à «Lectio divina» para mostrar os extraordinários frutos que esta prática está produzindo em seu país, onde foi introduzida com força pela Conferência Episcopal há 14 anos.

O bispo chegou a esta conclusão: «A Igreja no mundo de hoje está enfrentando a ameaça de vários ‘ismos’», como o secularismo, o consumismo, o materialismo... A ‘Lectio Divina’ é uma resposta que se demonstrou eficaz. Em palavras do nosso Santo Padre: ‘Quando promovida eficazmente, a Lectio divina traz à Igreja – estou convencido – uma nova primavera espiritual’».

Ricardo Grzona, presidente da Fundação Ramón Pane de Honduras, por este motivo, apresentou ao Sínodo a proposta de organizar um Congresso Internacional sobre a «Lectio Divina».

Grzona, ouvinte na assembléia, lançou o projeto «Leccionautas», «Lectio divina» na Internet, que já conta com mais de 300 mil jovens.