Lições sobre violência no filme ganhador do Festival de Cannes

O Júri Ecumênico aplaude o filme The White Ribbon

| 1562 visitas

CANNES, segunda-feira, 25 de maio de 2009 (ZENIT.org).- O filme The White Ribbon (A fita branca), ganhador do primeiro prêmio do 62º do Festival de Cannes, transmite como a violência pessoal prepara a violência social e política. 

O Júri Ecumênico do festival indica em um comunicado publicado neste sábado, 23 de maio, em sua página web, que também outorgou seu prêmio ao filme “À procura de Eric”. 

“A fita branca”, do diretor austríaco Michael Heneke, retrata a sociedade rural alemã do início do século XX e aborda os temas da culpa, do castigo e da desconfiança. 

O Júri Ecumênico outorgou a este filme uma menção especial e o definiu como “uma obra profunda de um magnífico rigor formal e cinematográfico”. 

Os membros desse júri afirmaram que “comoveu todos nós, animando-nos a ser extremamente vigilantes quanto aos sintomas da violência pessoal, que amplia a base da violência social e política”. 

O filme melhor avaliado pelo Júri Ecumênico, Looking for Eric, do britânico Ken Loach, “oferece uma visão humorística, otimista e humanista da crise da nossa sociedade”. Está protagonizado pelo ex-jogador de futebol do Manchester, Eric Cantona. 

O corpo de jurados, organizado pelas associações Signis e Interfilm, também concedeu um “antiprêmio” a “Anticristo”, um violento filme de um casal que desce ao inferno após perder seu filho. 

O Júri Ecumênico desta edição estava formado por seu presidente, o francês Radu Mihaileanu, a romena Alina Birzache, Claudette Lambert, do Canadá, Surge Molla, da Suíça, Federico Pontiggia, da Itália, e Jean-Michel Zucker, da França.