Lolo, jornalista em cadeira de rodas, «venerável»

Segundo decreto aprovado pelo Papa

| 1444 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 17 de dezembro de 2007 (ZENIT.org).- Bento XVI aprovou hoje o decreto que reconhece as virtudes heróicas de Manuel Lozano Garrido, conhecido como Lolo, grande jornalista, que passou boa parte de sua vida em uma cadeira de rodas e nos últimos anos ficou cego e paralítico. Com a aprovação deste decreto, o Papa lhe outorga o título de «venerável».  

O processo de canonização continua agora com o estudo de um milagre, que permitiria sua proclamação como beato. Segundo manifestaram hoje as fontes da diocese do servo de Deus à agência Veritas, «é motivo de alegria para a diocese de Jaén esta nova etapa no processo, e deve servir para alentar todos na vocação à santidade de todos os batizados e de modo concreto dos leigos».

Manuel Lozano Garrido «Lolo», nasceu em Linares (Jaén), em 9 de agosto de 1920, e morreu na mesma cidade em 3 de novembro de 1971.

Ingressou como aspirante da Ação Católica aos onze anos, adquirindo em seu seio uma profunda formação espiritual que o fez viver com alegria sua doença. Durante os longos anos de enfermidade, recebia diariamente a Eucaristia, à qual tinha uma grande devoção.

Durante a Guerra Civil Espanhola, sendo Lolo ainda adolescente, distribuía a Comunhão a pessoas que sofriam prisões, que ele também sofreu por causa de seus ideais cristãos. Foi acentuada sua devoção a Nossa Senhora, a quem rezava diariamente o terço e a quem dedicou alguns de seus escritos.

Começou a desenvolver seu trabalho profissional como jornalista em meios de comunicação como o jornal «Ya», «Telva», «Vida Nueva», a agência «Prensa Asociada», «Signo»...

Sua doença começou em 1942 e um ano depois já tinha uma invalidez absoluta. Em 1962, perdeu a vista.

Apesar de sua doença, recebeu importantes reconhecimentos profissionais, como o «Prêmio Bravo».

Em 1956, fundou a Revista «Sinai» para doentes. Algumas de suas obras, como «El sillón de ruedas» (primeiro livro escrito em 1961), «Las estrellas se ven de noche» (obra póstuma), ou «Cuentos en ‘la’ sostenido», foram publicados por Edibesa.

A Associação de Amigos de Lolo, atora do processo de canonização, oferece um site,www.amigosdelolo.com, onde se pode obter mais informação.