Lombardi: "A Igreja está fazendo mais do que outras instituições contra os abusos'

O porta-voz do Vaticano destacou que a reflexão sobre a família será um dos eixos do pontificado do Papa Francisco

Roma, (Zenit.org) Ivan de Vargas | 395 visitas

O diretor da Sala de imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, disse nessa sexta-feira que "praticamente a Igreja fez muito mais do que todas as outras instituições do mundo” para a prevenção e reconhecimento dos casos de pedofilia.

Em entrevista à Catalunya Radio, o padre Lombardi respondeu à acusação do Comitê dos Direitos da Criança das Nações Unidas e ressaltou que tal ente carece de informação quando critica a Igreja de encobrir os responsáveis de abusos a menores sem levar em consideração os progressos feitos e as várias iniciativas tomadas nos últimos anos.

"A comissão de Genebra parece que não tem nenhuma informação sobre isso. Eu acho que a Igreja tem feito mais do que praticamente todas as outras instituições do mundo neste campo da prevenção e para reconhecer o que fez de errado e os crimes neste sentido", afirmou.

Questionado sobre o reconhecimento dos direitos dos grupos homossexuais por parte da Igreja, o sacerdote jesuíta indicou que “existem muitas outras coisas que são mais fundamentais para a família e que são o sentido do amor entre o homem e mulher hoje”. “Há muitas coisas que são mais fundamentais e que tem mais a ver com a vida da grande multidão dos homens”, insistiu.

Para o padre Lombardi, a reflexão sobre a família vai ser um dos eixos do pontificado do Papa Francisco. Recordemos que o Santo Padre convocou a III Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos, do 5 ao 19 de outubro de 2014 no Vaticano, para abordar a questão dos "desafios pastorais da família no contexto da evangelização".

Além disso, a próxima Assembleia Geral Ordinária prevista para 2015 vai abordar as diretrizes operacionais para a pastoral da pessoa humana e da família.

O Conselho Ordinária do Sínodo dos Bispos, se reuniu do 24 ao 25 de Fevereiro para debater também os resultados da pesquisa enviada em novembro de 2013 para as conferências episcopais de todo o mundo .

(Trad.TS)