Mais de 100 rabinos darão boas-vindas ao Papa com página de jornal

Por ocasião de sua visita à Terra Santa

| 1255 visitas

JERUSALÉM, domingo, 3 de maio de 2009 (ZENIT.org).- Mais de 100 rabinos das diferentes denominações assinarão uma mensagem que será publicada em uma página do jornal israelense Ha'Arezt para dar as boas-vindas a Bento XVI à Terra Santa e impulsionar o diálogo entre judeus e cristãos.

Trata-se de uma iniciativa que foi promovida pelo rabino Jack Bemporad, diretor do Centro para a Compreensão Inter-religiosa (www.faithindialogue.org), em New Jersey (Estados Unidos) e membro da International Foundation for Interreligious and Intercultural Education (www.ifiie.org), segundo informam a Zenit os presidentes desta instituição, Adalberta e Armando Bernardini. 

De 8 a 15 de maio, Bento XVI visitará a Terra Santa, Jordânia, Israel e os Territórios Palestinos, em uma visita qualificada pelo governo de Israel como «ponte para a paz».

A mensagem dos rabinos tem como título «Unidos em nossa era», inspirando-se no título de Nostra Aetate, a declaração do Concílio Vaticano II publicada em 28 de outubro de 1965 que transformou as relações entre judeus e católicos. 

Em particular, citam o número 4 do documento, quando diz: «Sendo assim tão grande o patrimônio espiritual comum aos cristãos e aos judeus, este sagrado Concílio quer fomentar e recomendar entre eles o mútuo conhecimento e estima, os quais se alcançarão sobretudo por meio dos estudos bíblicos e teológicos e com os diálogos fraternos». 

Dirigindo-se diretamente ao Papa, a página publicada por Ha'Arezt explicará: «Com este espírito, nós, rabinos e líderes judeus, damos cordialmente as boas-vindas a Sua Santidade e à sua missão de paz em Israel. Com uma só voz, estamos unidos em nosso compromisso a favor do diálogo inter-religioso, da abertura de mais caminhos para aumentar o entendimento e para reconhecer e reforçar continuamente a importante relação que existe no mundo inteiro entre católicos e judeus». 

«E onde melhor que na Terra Santa de Israel é possível reafirmar esta relação, um lugar que as duas religiões consideram como uma herança comum?», acrescenta o texto assinado pelos rabinos.