Maria, «Santuário de toda a Sagrada Escritura»

Olhar para Jesus através da Santíssima Virgem Maria

Recife, (Zenit.org) Evaldo Silva Giulianetti | 786 visitas

Acredito, tenho fé de que, quem tem maior probabilidade de ter acesso a chave para descobrir as grandes verdades da Bíblia são sobretudo os de coração humilde. Justifico o que digo da seguinte forma:

E o Verbo se fez carne (Jo 1,14), a Palavra do Pai se manifestou aos homens através da Santíssima Virgem Maria. Deus sendo onipotente poderia se manifestar aos homens de infinitas maneiras, mas quis manifestar-se através da Santíssima Virgem (Gl 4,4-5).

Temos uma riqueza de informação muito grande nesse “comportamento” Divino. Ao se revelar aos homens e principalmente no que diz respeito aos grandes mistérios, o querer Divino tem uma particularidade: Maria!  São Luis Maria Grignon de Montfort († 1716) frisa bem isso:

“Digo, entretanto, que, supostas as coisas como são, já que Deus quis começar e acabar suas maiores obras por meio da Santíssima Virgem, depois que a formou, é de crer que não mudará de conduta nos séculos dos séculos, pois é Deus, imutável em sua conduta e em seus sentimentos” (Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem, pg. 25).

Se o Pai assim age é de supor que o Espírito Santo ao utilizar dos homens para escrever os Evangelhos, principalmente no que se refere aos mistérios deixa registrado essa “tendência”, essa “forma” esse “estilo”, ou seja: utiliza-se de Maria para manifestar aos homens! Ela é a chave que abre as portas dos mistérios que os doutores não conseguem compreender. A razão é simples. Essa “chave” só possui os que tem o coração humilde. A condição para aproximar da Santíssima Virgem Maria é antes de tudo ter um coração humilde. Motivo pelo qual, a exemplo de seu Filho, Nossa Senhora em suas aparições, reconhecidas pela Igreja, não procurou os doutores e os grandes da Terra.

Pois bem, a Trindade na pessoa do Filho assim disse: “Eu te louvo, oh Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultastes estas coisas aos sábios e doutores e as revelastes aos pequeninos”. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. ... E aquele a quem o Filho o quiser revelar. (Mt 11, 25-27).

E aqui voltamos a dizer: somente o coração humilde tem a chave para abrir, adentrar nos mistérios Divinos, pois supostas as coisas como são a Trindade na pessoa do Pai do Filho e do Espírito Santo querem, desejam se revelar através da pessoa mais humilde que existe: Maria! Ela é o vitral por onde passa a Luz Divina que é Cristo.

O homem foi feito para olhar a luz, mas não consegue olhar o sol fonte da luz. A inteligência humana foi feita para compreender a verdade Divina, mas não pode compreender a verdade Divina que ofusca a inteligência, como a luz do sol cega e ofusca os nossos olhos. Por isso inventou-se o vitral que com a luz do sol nós podemos olhar para ele sem que ofusquem nossos olhos. Então, o sol passa pelo vitral e tudo fica colorido. O vitral é a Virgem Maria. A luz de Deus é Cristo e veio até nós passando pela virgem Maria. Ela pela sua humildade é capaz de captar as verdades Divinas e o mais bonito, não as retém,  as reflete.

 Significativo, mas pouco evidenciado é o texto de Lc 11, 27-28, onde alude ao louvor e bênção que uma mulher do povo faz da maternidade de Maria. Jesus, então por sua vez exalta a uma maternidade à luz da obediência à Palavra de Deus. A passagem bíblica é direcionado ao tema do «Coração, como Sede de Sabedoria», onde Maria guardava, experimentava e participava dos acontecimentos da vida de Jesus (cf. Lc 2,19.51), é a testemunha palpável de escuta e prática obediente a Palavra de Deus. Na Idade Média o abade beneditino, Ruperto de Deutz († 1130), utilizando Lc 11, 27-28, na sua obra Commentaria in Cantica Canticorum põe em evidência alguns elementos significativos: a alegria e exultação na Maternidade divina de Maria. É bem-aventurada porque “escutou e guardou a Palavra de Deus”. Os dons que Maria recebeu de Deus Pai, na ação do Espírito Santo, por causa da gestação do Filho divino fazem com que, Ela se torne um «Santuário de toda a Sagrada Escritura». Ruperto dá a Virgem Maria por duas vezes tal título, exaltando assim sua intensa intimidade com a Palavra de Deus (cf. Commentaria in Cantica Canticorum 4 [4, 12-15], in CCMM 26, 206-207, p. 90).

Portanto, acredito que temos que ler a Bíblia através da Santíssima Virgem Maria, com olhos marianos. Olhar para Jesus através desse magnífico vitral a Santíssima Virgem Maria.

Evaldo Silva Giulianetti é autor de um ensaio mariológico: «A Menina dos Olhos de Deus», Editora Santuário, Aparecida 2010, 215 pág.; aluno do «Curso Básico de Mariologia» via internet pelo site: www.cursoscatólicos.com.br