Médicos católicos apóiam bispo espanhol na polêmica sobre a homossexualidade

Comunicado da Federação Internacional de Associações de Médicos Católicos

| 1370 visitas

ROMA, quarta-feira, 18 de abril de 2012 (ZENIT.org) - A Federação Internacional de Associações de Médicos Católicos (FIAMC), com sede na Cidade do Vaticano, publicou um comunicado sobre as palavras de dom Juan Antonio Reig Pla, bispo de Alcalá de Henares, na Espanha, que se manifestou contrário à homossexualidade em homilia transmitida na sexta-feira santa pelo canal TVE (Televisión Española).

O comunicado é assinado pelo presidente da FIAMC, doutor José María Simón Castellví, e diz que a federação deseja “comunicar à opinião pública de boa vontade” os seus seguintes pontos de vista:

1. Que os médicos católicos respeitam profundamente as pessoas com orientação homossexual, assim como todas as pessoas de qualquer outra condição.

2. Que os médicos católicos não aprovam a prática da homossexualidade por não achá-la em conformidade com a sã antropologia nem com a santa bíblia. A homossexualidade, segundo eles, não é pro natura.

3. Que a posição científica dos médicos católicos se encontra no documento Homossexualidade e esperança, da Associação Médica Católica Norte-Americana, adotado pela FIAMC como um dos seus textos oficiais. O texto, em várias línguas, encontra-se no site www.fiamc.org.

4. Que os médicos católicos, assim como dom Reig, lamentam o conteúdo de alguns livros de texto, especialmente os da matéria escolar espanhola Cidadania, e os "ensinamentos" que incentivam crianças a “explorar” todas as possibilidades sexuais. “Temos toda a razão para considerar perversos estes ensinamentos”, dizem os médicos no comunicado. “E dom Reig tem toda a razão ao condenar estes e outros abusos contra o ser humano”.

5. Que os médicos católicos lamentam profundamente o fracasso dos estados modernos e das instituições públicas supranacionais no combate ao turismo sexual, com maiores ou menores de idade, em países que eles chamam de “exóticos”.