Meditação para 5º dia da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

| 1123 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 21 de janeiro de 2008 (ZENIT.org).- Publicamos o comentário aos textos bíblicos escolhidos para o 5º dia da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, em 22 de janeiro.

O texto faz parte dos materiais distribuídos pela Comissão Fé e Constituição do Conselho Ecumênico das Igrejas e o Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos.

* * *

5º dia: Orai sem cessar com um coração paciente

Tende paciência com todos (1 Tes 5, 14)

Ex 17,1-4: Por quê?

Sal 1: Dar fruto a seu tempo

1 Tes 5 (12a)13b-18: Tende paciência com todos

Lc 18, 9-14: Uma humilde oração

Comentário

Não podemos estar satisfeitos com a divisão dos cristãos. Somos legitimamente impacientes até que venha finalmente o dia de nossa reconciliação. Por isso, também devemos ser conscientes de que o ecumenismo não se vive em todas as partes no mesmo ritmo. Alguns avançam a grandes passos, outros são mais prudentes. Como Paulo prega, devemos seguir sendo pacientes com todos.

Como o fariseu em sua oração, podemos facilmente apresentar-nos ante Deus com a arrogância dos que fazem tudo muito bem: «Eu não sou como o resto dos homens». Se às vezes se tentam denunciar as lentidões ou as imprudências dos membros de nossa Igreja, ou as de nossos interlocutores ecumênicos, o convite à paciência ressoa como uma advertência importante.

Em certas ocasiões, inclusive, nós nos mostramos impacientes com Deus. Como o povo no deserto, às vezes gritamos para Deus: por que toda esta marcha, dolorosa, se tudo se deve acabar agora? Tenhamos confiança: Deus responde a nossas orações, do seu jeito, a seu devido tempo. Ele saberá suscitar novas iniciativas para a reconciliação dos cristãos, aquelas que em nosso tempo são necessárias.

Oração

Senhor, fazei de nós discípulos vossos; que escutemos vossa Palavra dia e noite. Em nosso caminho rumo à unidade, dai-nos saber esperar os frutos ao seu tempo. Quando os preconceitos e a desconfiança triunfam, concedei-nos a humilde paciência necessária para a reconciliação. Assim vos pedimos.