Meeting de Rimini se interroga sobre tendência ao transcendente

“Essa natureza que nos impulsiona a desejar coisas grandes no coração”

| 1089 visitas

ROMA, sexta-feira, 20 de agosto de 2010 (ZENIT.org) - A 31ª edição do Meeting pela amizade entre os povos, sobre o tema "Essa natureza que nos impulsiona a desejar coisas grandes no coração" começará no dia 22 de agosto, com a Missa presidida pelo bispo diocesano, Dom Francesco Lambiasi.    

O encontro anual de Comunhão e Libertação prossegue a reflexão sobre o homem e seu destino, interrogando-se sobre a essência da natureza humana, sobre a origem da tendência ao transcendente e sobre a insatisfação produzida pelo finito e contingente.

Superar, portanto, os estreitos limites do materialismo dominante, reconhecer e seguir as dinâmicas do coração em todo âmbito e condições de vida - da família ao trabalho, da relação com os outros à pesquisa científica - e permitir a manifestação pública dessa sede do Absoluto por meio da livre prática religiosa são alguns dos temas que animarão os mais de 130 encontros previstos no programa, até o sábado 28, nos grandes espaços da cidade de Ravena.

Para aproveitar ao máximo o tempo, o programa está subdividido em "blocos" de eventos, entre os quais se encontram os "Encontros das 17h" - os principais - e outras "mesas redondas" simultâneas.

A articulação dos conteúdos prevê também a área dos Focus, que tratam temas em profundidade, para um público especializado, entre os quais se encontram os seminários com fundações internacionais como a Tony Blair Foundation e a Fundação Adenauer.

Neste último encontro, intervirá o vice-presidente da Câmara dos Deputados da Itália, Rocco Buttiglione; o presidente do Conselho Pontifício Cor Unum, cardeal Paul Josef Cordes; e o presidente da Fundação Adenauer, Hans-Gert Pöttering.

Nesta área se insere o "Café com...", que oferecerá aos jovens a oportunidade de encontrar-se com vozes autorizadas da economia e das finanças.

A seção "Textos e contextos" proporá novidades literárias sobre grandes temas do momento, mostras e vídeos, entre eles a crônica de reportagens internacionais "Histórias do Mundo" e a dedicada ao universo esportivo, chamada "História do esporte, histórias de vida".

Para concluir a agenda diária, haverá 18 espetáculos noturnos de teatro, música e dança a partir do "Calígula", de Albert Camus, no 50º aniversário da morte do escritor, filósofo e dramaturgo francês.

O encontro inaugural "das 17h" contará com a presença da presidente da Irlanda, Mary McAleese, em diálogo com o jornalista irlandês John Waters sobre o tema "As forças que transformam a história são as mesmas que transformam o coração do homem".

Sobre os desafios da fé para o europeu de hoje conversarão o cardeal Péter Erdő, arcebispo de Esztergom-Budapeste, presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) e o Metropolitano Filarete de Minsk e Sluzk, Exarca Patriarcal de Belarus, que compartilharão pontos de vista e preocupações das Igrejas Católica e Ortodoxa.

O tema do Meeting será ilustrado pelo professor de teologia Stefano Alberto, no dia 24. O patriarca de Veneza, cardeal Angelo Scola, falará sobre "Desejar Deus, Igreja e pós-modernidade", no dia seguinte. E o dia 26 será dedicado ao tema "Liberdade religiosa e responsabilidade política". E, como em edições anteriores, também neste ano o Meeting dará voz a testemunhas de esperança no contexto da abertura e da reconciliação.

Em uma intervenção sobre a próxima viagem apostólica do Papa ao Reino Unido, o arcebispo de Dublin, Dom Diarmuid Martin, tratará da figura do cardeal John Henri Newman, que Bento XVI beatificará em 19 de setembro.

O Meeting representa também uma oportunidade de diálogo entre líderes religiosos sobre suas respectivas crenças, sobre grandes temas do momento ou sobre fatores de crise espiritual.

Neste ano, falarão, sobre o tema da fé como campo e instrumento de encontro, o monge budista e acadêmico Shōdō Habukawa; o reitor da Mesquita de Bordéus, Tareq Oubrou, e o presidente do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso, cardeal Jean-Louis Tauran.

Além disso, serão tratados temas como: o nexo entre pobreza e solidão; os problemas dos emigrantes, entre aceitação de rejeição; o incremento da ocupação como fator chave para a saída da crise; a reforma da Justiça, entre outros.

No sábado 27, o encontro conclusivo do Meeting recordará o fundador de Comunhão e Libertação, Luigi Giussani, com a apresentação do seu livro, L'io rinasce in un incontro ("O eu renasce em um encontro", N. do T.), confiada ao intelectual francês Fabrice Hadjadj.