Memorial dos Mártires é abençoado no Iraque

Celebração inaugura monumento aos cristãos mortos após a intervenção norte-americana

| 1159 visitas

KIRKUK, quinta-feira, 22 de dezembro de 2011 (ZENIT.org) – No quarto domingo do Advento, em 18 de dezembro, foi realizada a cerimônia em que o arcebispo de Kirkuk, no Iraque, Dom Louis Sako, abençoou o monumento que homenageia 36 mártires cristãos da cidade, no norte do país.

O memorial traz gravados os nomes de todos os cristãos que morreram durante os oito anos de guerra civil, após a intervenção dos Estados Unidos em março de 2003. A Operação Liberdade do Iraque derrubou o ditador Saddam Hussein e desencadeou um sangrento conflito interno, que custou a vida de 4.500 soldados americanos e de mais de cem mil iraquianos.

O monumento, definido pelo arcebispo como "testemunha do ecumenismo que distingue esta cidade multi-étnica que está no centro de lutas pelo poder", tem na sua parte superior uma estátua do Sagrado Coração de Jesus, padroeiro da catedral de Kirkuk, "de braços abertos" num gesto de acolhimento aos fiéis, a fim de "abençoar e dar coragem às famílias" das vítimas da guerra.

Durante a cerimônia, o arcebispo também destacou que "o sangue dos mártires é precioso" e significa um "convite à reconciliação para todos os iraquianos", especialmente nas últimas semanas, em que se completa a retirada das tropas dos Estados Unidos.

"Estamos vivendo a preparação para o Natal. Essa data anuncia a paz na Terra para todas as pessoas de boa vontade", prosseguiu Dom Louis. Para isso, "nós, cristãos, somos chamados a ser pontes" capazes de "unir todas as culturas".

Na celebração dos mártires cristãos estavam presentes cinco médicos italianos, chegados ao norte do Iraque em missão humanitária organizada pelo próprio arcebispo. A missão pretende cuidar de um grupo de pacientes sem distinções de religião professada, como sinal da "solidariedade cristã para com todos os cidadãos", declarou Dom Louis.

Fontes: Asia News e Rádio Vaticano