Mensagem da Santa Sé aos budistas pela festa do Vesakh

Do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso

| 1269 visitas

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 31 de março de 2011 (ZENIT.org) - Apresentamos, a seguir, a mensagem enviada aos budistas pelo cardeal Jean-Louis Tauran, presidente do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso, por ocasião da festa do Vesakh.

* * *

À procura da verdade em liberdade:

cristãos e budistas vivem em paz


Caros amigos budistas:

1. É com muito prazer que, em nome do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso, me dirijo a todos vós para vos felicitar por ocasião do Vesakh/Hanamatsuri. Rezo para que esta festa anual possa trazer serenidade e alegria a todos os budistas presentes no mundo inteiro.

2. À luz de uma amizade recíproca, como tem acontecido no passado, gostaria de partilhar convosco algumas das nossas convicções, esperando assim poder reforçar o relacionamento entre as nossas comunidades. O meu pensamento dirige-se, antes de tudo, à relação entre paz, verdade e liberdade. A condição necessária para se conseguir uma paz autêntica é o empenho na procura da verdade. Todas as pessoas têm uma obrigação natural de procurar a verdade, de a seguir e de a viver livremente em conformidade com ela (cf. Concílio Ecumênico Vaticano Segundo, Declaração sobre a liberdade religiosa Dignitatis Humanae, n. 1). Esta tensão humana para a verdade oferece aos membros das diferentes religiões, uma feliz oportunidade de um profundo encontro, e de crescimento na estima recíproca pelos dons de cada um.

3. No mundo atual, marcado por formas de secularismo e fundamentalismo que são frequentemente inimigos da verdadeira liberdade e dos valores espirituais, o diálogo inter-religioso pode ser a alternativa para encontrar o "caminho de ouro" para vivermos em paz e trabalharmos juntos pelo bem comum. Como disse o Papa Bento XVI, «o diálogo entre os membros das várias religiões é, para a Igreja, um importante instrumento para colaborar, com todas as comunidades religiosas, para o bem comum». (Mensagem para a Jornada Mundial da Paz 2011, n.11). Este diálogo é também um poderoso incentivo para que todos respeitem os direitos humanos fundamentais da liberdade de consciência e da liberdade de culto. Quando a liberdade religiosa for efetivamente reconhecida, a dignidade da pessoa humana será respeitada na sua raiz; através de uma sincera procura daquilo que é verdadeiro e bom, a consciência moral e as instituições civis serão fortalecidas; e a justiça e a paz serão decididamente estabelecidas (cf. ibidem, n.5).

4. Caros amigos budistas, rezamos para que a vossa celebração do Vesakh seja uma fonte de enriquecimento espiritual e uma ocasião para dar um novo salto na procura da verdade e da bondade, para mostrar compaixão para com todos aqueles que sofrem, e para que todos se esforcem em viver juntos em harmonia. Mais uma vez permitam-nos expressar as nossas cordiais saudações e desejar a todos vós uma feliz festa de Vesakh/Hanamatsuri.


Jean-Louis Cardinal Tauran

Presidente


Arcebispo Pier Luigi Celata

Secretário



[Copyright 2011 - ©Libreria Editrice Vaticana]