Mensagem do cardeal Bertone em missa inédita celebrada por Galileu

«Ele distinguiu as duas razões, a verdade da ciência e as verdades úteis para a nossa salvação»

| 1003 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 17 de fevereiro de 2009 (ZENIT.org).- O cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, fez-se presente com uma mensagem de alento à harmonia entre fé e ciência, em uma missa solene inédita por Galileu Galilei, que se celebrou neste domingo na basílica de Santa Maria dos Anjos e dos Mártires em Roma. 

A celebração eucarística foi presidida pelo arcebispo Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, e organizada pela Federação Mundial dos Cientistas, presidida pelo físico Antonio Zichichi, para festejar os 445 anos do nascimento do fundador da ciência moderna. 

O secretário de Estado, citando a homilia que o Papa pronunciou na missa da Epifania, recorda como «no cristianismo se dá uma peculiar concepção cosmológica», que em nossa época «oferece sinais interessantes de um novo florescimento» de cientistas, capazes de valorizar a fé e a razão. 

A mensagem põe como modelo Galileu Galilei, pois «ele soube ler e estudar a ciência através dos olhos da fé». 

O cardeal assegurou aos participantes da missa a «proximidade espiritual do pontífice», e cumprimentou os cientistas, em particular, «os representantes da Academia das Ciências da China». 

Na homilia, o arcebispo Ravasi explicou como «Galileu distinguiu as duas razões, a verdade da ciência e as verdades úteis para a salvação, que são comunicadas pela voz do Espírito». 

No final da missa, Zichichi anunciou que nessa mesma basílica se erigirá uma estátua ao grande cientista.