Messi sobre a visita ao papa: "Um dia inesquecível"

Itália e Argentina disputam amistoso em homenagem a Francisco

Roma, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 491 visitas

Depois do encontro com o papa na manhã da quarta-feira (14), Lionel Messi e Gianluigi Buffon, os capitães das seleções de futebol da Argentina e da Itália, participaram de uma coletiva no Vaticano em que compartilharam as suas impressões sobre a audiência com o papa.

Os dois craques deram também o “clique inicial” na internet para receber as inscrições das duas primeiras escolas que farão parte de um projeto educacional implementado pela Pontifícia Academia das Ciências.

Durante a entrevista, o goleiro italiano afirmou que “é um orgulho participar do evento de amanhã” [em referência ao jogo disputado hoje, quarta-feira, ndr] e que “este dia especial” permanecerá na sua mente e no seu coração para sempre. Sobre Francisco, Buffon declarou que é “um papa especial”, um papa que “nos indica o caminho a seguir, que aquece o nosso coração”.

Messi concordou que “foi muito especial esta experiência” e que “o fato de o papa ser argentino tornou tudo mais especial ainda”. “O futebol já me permitiu viajar pelo mundo inteiro, pelos lugares mais incríveis, mas hoje, de verdade, foi um dia especial, inesquecível”, disse o atacante.

Buffon acrescentou que foi um "encontro comovente" e que "ter a honra de participar de um encontro com este papa é gratificante e faz você sentir esse dia de uma forma especial". À pergunta de uma jornalista sobre o convite do santo padre a ser "amador", o goleiro italiano respondeu que ele tem razão e ressaltou a beleza de não se perder a paixão que aproxima a criança e o jovem do deporte.

Prandelli, técnico da Itália, também destacou o privilégio de viver uma jornada tão especial e se disse comovido com o discurso do papa, que “parecia o de uma pessoa que quer ajudar os mais jovens”, ressaltando as três palavras-chave da mensagem de Francisco: beleza, gratuidade e camaradagem, "palavras que são usadas também por nós, treinadores".

O papa falou aos jogadores sobre a responsabilidade de ser modelos para tantas pessoas, em especial para os jovens. Messi acredita que esse modelo é aquele “que os pais nos ensinam quando somos pequenos”, destacando características como o respeito pelos outros, a luta pelo que se quer sem prejudicar ninguém, o ato de não pensar só em si mesmo: "O respeito é fundamental para ser uma pessoa melhor". Buffon complementou que também é importante "manter inalterada a paixão e a vocação que aproxima a criança da disciplina", uma paixão que “não é filha do business”.

Um jornalista brincou sobre a possibilidade de a partida de hoje ser uma espécie de milagre do papa Francisco, uma espécie de profecia de uma final Itália-Argentina na próxima Copa do Mundo. Buffon respondeu que Francisco tem assuntos mais importantes nos quais “fazer milagres”.