México: núncio apela à coerência dos fiéis

“O testemunho público dos católicos pode ajudar a resolver os problemas do país”

| 1137 visitas

TORREÓN, terça-feira, 22 de junho de 2010 (ZENIT.org) - Por meio de sua fé e de seus valores, bem como de seu testemunho na vida pública, os católicos podem contribuir de modo concreto para a solução de muitos problemas que desafiam o México, disse Dom Christophe Pierre, núncio apostólico do Papa Bento XVI no país, ao comentar a recente declaração do presidente Felipe Calderón de que é necessário "redimir a imagem do país" perante o mundo.

O núncio apostólico esteve em Torreón para participar da conferência "O sacerdócio no mundo atual", que marcou o encerramento do Ano Sacerdotal nesta diocese do México.

Dom Pierre expressou que os valores devem constituir a base da busca por soluções para problemas como a corrupção e a violência: "Penso que a partir destes, podemos ajudar as pessoas a uma melhor educação, a constituir famílias mais saudáveis (...). Possivelmente, esta seria a contribuição da Igreja para a dita proposta do presidente, uma vez que a Igreja está sempre disposta a colaborar para o bem comum de um país".

Sobre o teor da conferência "O sacerdócio no mundo atual", Dom Pierre disse que sua proposta era a de refletir sobre as considerações de Bento XVI sobre o sacerdócio, sobre a necessidade do sacerdote de se renovar constantemente, de aprofundar sua vocação e de "tomar consciência da importância do sacerdócio para a própria Igreja".

Quanto à posição da Igreja em relação à situação de violência vivida hoje em todo o mundo, o núncio apostólico assegurou que, como a Igreja "somos nós", sem dúvida o problema também a afeta diretamente. "A Igreja são os cidadãos que professam a fé católica e, portanto, é afetada na mesma medida com que as pessoas são afetadas", disse.

Finalmente, Dom Christopher Pierre sublinhou que os bispos mexicanos apresentaram, há poucas semanas, um documento no qual analisam a situação do país, afirmando que "nossa sociedade padece de uma enfermidade", e propondo soluções concretas, nas quais as políticas educacionais desempenham um papel crucial.