Mil pobres e desabrigados celebram o natal em Czestochowa

Tradição na cidade polonesa: Cáritas organiza ceia natalina para os desfavorecidos

Roma, (Zenit.org) Don Mariusz Frukacz | 1021 visitas

Mais de mil pessoas pobres e sem-teto participaram neste sábado, 22 de dezembro, da grande ceia de natal organizada pela Caritas de Czestochowa no antigo mercado da cidade.

Os convidados foram recebidos pelo arcebispo Waclaw Depo, que declarou: "Belém significa ‘a casa do pão’. Todo mundo deseja uma casa. Precisamos que este desejo nos leve também a enxergar os outros necessitados".

Esta não é a primeira vez que Czestochowa protagoniza uma iniciativa em prol dos desabrigados. Em 1992, a cidade estava sendo flagelada pelo desemprego. Muitas pessoas, por vicissitudes várias, ficaram sem trabalho e sem lar. Após o fim do comunismo, revelava-se mais e mais a miséria de quem não era capaz de lidar com uma nova realidade social e econômica.

Um ano antes, em agosto de 1991, o nosso seminário maior se mudou de Cracóvia para Czestochowa, onde o novo edifício foi abençoado pelo papa João Paulo II. Uma das primeiras iniciativas do seminário foi organizar uma festa de natal, na estação de trem, para os desabrigados da cidade.

Eu fazia parte do grupo de clérigos que organizaram a vigília para aqueles irmãos e irmãs mais carentes.

Lembro-me, em particular, da caixa de papelão na capela do seminário, em que todos depositávamos dinheiro para a organização da ceia de natal na estação. Toda a preparação começou com uma espécie de peregrinação pelas lojas e restaurantes, a fim de conseguirmos alimentos. A contribuição foi enorme. Na estação, preparamos mesas, árvores de natal e um altar para a missa da meia-noite.

Naquela primeira véspera de natal, participaram mais de cem pessoas sem abrigo, além de um grupo de pobres da Romênia, que, na época, estavam presentes na Polônia em grande número. Ao longo dos anos seguintes, a ceia de natal na estação, organizada pelo clero para os desabrigados, se consolidou como tradição.